Trapalhadas da Unicesumar e governo Ratinho deixam estudantes sem aulas APP-Sindicato

Trapalhadas da Unicesumar e governo Ratinho deixam estudantes sem aulas

Falta de monitores(as) impede início de aulas dos cursos de Administração, Agronegócio e Desenvolvimento de Sistemas

Contratada porque, supostamente, faltavam professores(as) qualificados(as) na rede – mentira já desmascarada pela APP – a Unicesumar não foi capaz de atender a demanda dos cursos técnicos de Administração, Agronegócio e Desenvolvimento de Sistemas, deixando milhares de estudantes sem aulas no 1º ano do Ensino Médio.

Sem monitores(as), as aulas ainda não começaram em dezenas de colégios estaduais. Um levantamento preliminar da APP aponta a falta de pelo menos 119 monitores(as), cujo trabalho é colocar para funcionar o equipamento das aulas remotas e realizar a interação entre alunos(as) e professor(as) que ministram as aulas remotas.

O problema é causado pela decisão da Secretaria de Estado de Educação (Seed) de terceirizar para a Unicesumar as aulas dos primeiros anos de cursos técnicos profissionalizantes. Depois de proibir professores(as) QPM e PSS de pegarem essas aulas, a Seed deixou os alunos na mão.

>> Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram

Os(as) diretores(as) das escolas onde faltam monitores estariam sendo orientados(as) pela Secretaria de Estado da Educação a procurar jovens para serem contratados(as) pela Unicesumar, em mais um desvio causado pela terceirização.

A baixa remuneração oferecida tem dificultado a contratação de monitores(as). Sem qualificação pedagógica, esses(as) jovens serão o único contato presencial dos(as) estudantes com as disciplinas e vão receber apenas R$ 8 por hora trabalhada, o equivalente a R$ 640 para 20h.

A falta de monitores(as) ocorre de maneira generalizada em todo o Paraná, seja na Capital, nas cidades polo regionais e em municípios de pequeno porte. 

A APP registra falta desses profissionais em 38 municípios: Curitiba, Abatiá, Arapongas, Arapoti, Bituruna, Califórnia, Capanema, Cascavel, Colombo, Contenda, Dois Vizinhos, Douradina, Fazenda Rio Grande, Foz do Iguaçu, Ibaiti, Iretama, Jaguiriaíva, Lapa, Londrina, Mauá da Serra, Medianeira, Missal, Marquinho, Nova Prata do Iguaçu, Palmas, Palotina, Paranacity, Paranaguá, Pinhão, Ponta Grossa, Porecatu, Rio Negro, Santa Helena, Santo Antonio do Sudoeste, São João do Triunfo, São Miguel do Iguaçu, Terra Roxa e União da Vitória.

Leia também

>> Ministério Público Estadual vai investigar a contratação da Unicesumar pelo governo Ratinho Jr

>> Unicesumar pagará R$ 640 (20h) para monitores substituírem professores da rede em cursos técnicos

>> Cursos técnicos: terceirização para a Unicesumar ameaça empregos de PSS e qualidade do ensino

>> Terceirização de professores(as) na Educação Profissional ameaça educação pública

MENU