Sindicatos criam rede de solidariedade para ajudar no combate ao Coronavírus

Além de lutar por direitos e empregos, sindicatos da CUT estão emprestando sedes e estruturas para construções de leitos, postos de vacinação e coletas de doações. Entidades também contribuem financeiramente

Sindicatos, federações e confederações, além de lutarem por empregos, salários, proteção aos trabalhadores e trabalhadoras durante o depois do enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), criaram uma rede de solidariedade para ajudar as autoridades na luta contra a proliferação da doença, que já matou milhares de pessoas no mundo.

As entidades têm seguido uma das principais orientações da Central Única dos Trabalhadores (CUT) para este período e, como afirma o presidente da Central, Sérgio Nobre, o momento é de ampliar este movimento.

“Reforço que nossos sindicatos devem colocar à disposição das autoridades de saúde suas estruturas, clubes de campo, quadras, tudo que puder ser utilizado para o atendimento da população que tem risco ou suspeita de contaminação pelo coronavírus”, disse.

“Os nossos sindicatos devem se tornar pontos de coleta de alimentos, de coleta de produtos de limpeza e que façam chegar essas doações à população mais pobre, aos trabalhadores vulneráveis”.

Solidariedade no Paraná

Aqui no Estado, a APP-Sindicato colocou, à disposição do governo, suas unidades de hospedagem. Além disso, o Sindicato doou materiais de limpeza e higiene que estão sendo distribuídos à população em situação de vulnerabilidade social em Curitiba e Região metropolitana.

“Além de seguir todas as orientações que têm sido divulgadas pelo nosso serviço público de saúde, a união e a solidariedade de todos em prol da vida é importante para que possamos superar esse momento”, diz o presidente da APP-sindicato, professor Hermes Silva Leão.

:: APP-Sindicato disponibiliza estruturas para atender à população

:: APP faz doação para entidades que cuidam de moradores(as) de rua

Solidariedade em todo Brasil

O secretário de comunicação da CUT Piauí, Antonio Herbet Marinho, contou que os sindicatos do Estado no estado estão emprestando os seus carros de som para a Polícia Militar circular nos bairros orientando a população a se proteger.

O caminhão de som da CUT Minas Gerais está circulando pelos bairros e interior veiculando um spot [gravação de áudio utilizado como peça publicitária em rádio ou mesmo em tv] produzido pela entidade, que informa a população da importância de ficar em casa.

O Sindicato dos Petroleiros na Bahia (Sindpetro Bahia) alugou um caminhão para também reproduzir nos bairros informações sobre o isolamento social. E o Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente (Sindae-Bahia), também na capital baiana, está se organizando para começar a atuar nos bairros na próxima semana.

Com o tema “#FiqueEmCasa e seja solidário”, o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários, Financiários e Empresas do Ramo Financeiro de Curitiba e região, em parceria com a Casa da Resistência, está coletando doações para que sejam comprados alimentos, adquiridos com produtores rurais locais, e produtos de higiene para serem encaminhados às famílias que passam por dificuldades neste momento de pandemia do Coronavírus (Covid-19).

“Ao fazermos nossa parte, não estamos isentando os governos de suas responsabilidades e sim reforçando a exigência que o poder público organize imediatamente a distribuição de cestas básicas às pessoas socialmente vulneráveis de nossa cidade”, reforça Elias Jordão, presidente do Sindicato.

O Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Criciúma e Região (Sindisaúde) disponibilizará R$ 60 mil para ajudar na compra de equipamentos de proteção individual (EPIs) e doá-los às instituições que estão com a maior demanda de enfrentamento contra o Coronavírus.

O Sindicato dos Trabalhadores Energéticos do Estado de São Paulo (Sinergia-SP) está em constante diálogo com o prefeito da Praia Grande para pensar como a entidade pode ajudar, sendo que a Colônia de Férias da categoria fica muito perto de dois Ginásios de Esportes, onde serão construídos Hospitais de Campanha com leitos para pacientes com COVID-19.

Adote um trabalhador ou uma trabalhadora

O Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Cruz Alta (SINDIESCA), com apoio da Federação dos Empregado em Estabelecimentos de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul (FEESSERS), lançou uma campanha para ajudar trabalhadoras e trabalhadores do Hospital São Vicente de Paulo de Cruz Alta, que estão sem salários há dois meses.

“Esses mesmos trabalhadores que estão dentro do hospital para nos socorrer, correm graves riscos de adoecerem e até mesmo morrerem. Muitos trabalhadores estão passando fome e sendo ameaçados de serem despejados de suas casas”, explica trecho da campanha.

Para ajudar é só procurar o sindicato nos telefones (55) 33227511 ou (55) 9 99628538, um dos diretores da entidade entrará em contato, devidamente identificado para combina como será feita a contribuição.

Ajuda emocional

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Paulo (Sindsep) lançou uma publicação digital (Ebook) com o tema “Cuidando de quem cuida” com algumas sugestões de cuidado com a saúde mental em tempos de pandemia. Além das dicas, há um canal para pedir ajuda à psicóloga da Secretaria de Saúde do Trabalhador do sindicato.