Servidores(as) são agredidos em São Paulo

Servidores(as) são agredidos em São Paulo

Em vários estados e municípios, os ataques contra trabalhadores(as) continuam

Na tarde de hoje(14), professores(as) e servidores(as) municipais foram agredidos pela Guarda Municipal da Prefeitura de São Paulo, comandada pelo prefeito João Dória (PSDB). O massacre ocorreu na Câmara Municipal da cidade quando os(as) trabalhadores(as) se manifestavam contra a reforma da Previdência de servidores(as) municipais quando guardas-civis e policiais militares agrediram os(as) manifestantes, gerando um de cenário de muita violência.

A APP-Sindicato se solidariza com os(as) estes(as) trabalhadores(as) e repudia o uso da violência contra a luta em defesa de seus direitos. Em um cenário de ataques aos serviços públicos, é inadmissível que a violência seja uma arma usada contra quem sai às ruas em defesa de direitos historicamente conquistados. “É impossível não lembrarmos o dia 29 de abril de 2015. A violência vivida no Paraná não poderia jamais se repetir. Não podemos aceitar que a violência seja um recurso para calar a voz da educação”, declara o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão.

Projeto altera previdência dos(as) servidores(as) municipais – vereadores(as) votariam a reforma da previdência municipal que quer aumentar as contribuições dos(as) trabalhadores(as) – atualmente 11% – para no mínimo 14%, podendo chegar até 19% para quem tem o salário acima de R$ 5.662,00. A proposta atingiria, ainda, praticamente todos(as) os(as) aposentados(as) e pensionistas descontando de 1% a 5% no salário.

Com informações de Jornalistas Livres.

MENU