Seguindo os passos do Amazonas, Ratinho autoriza retomada de aulas presenciais no Paraná

Seguindo os passos do Amazonas, Ratinho autoriza retomada de aulas presenciais no Paraná

Colapso do sistema de saúde amazonense ocorreu após retorno de aulas presenciais e, nesta semana, Paraná bateu o recorde de internados/as por Covid-19

O governador do Paraná, Ratinho Junior, anunciou o retorno das aulas presenciais nas redes públicas e privadas de ensino de todo o estado. A autorização foi publicada em um decreto ontem (21), dois dias depois do Paraná atingir o maior número de internados/as desde o início da pandemia. Segundo especialistas, a tendência é de aumento nos casos.

Para o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão, a decisão do governador e do secretário da Educação, Renato Feder, “desconsidera o principal objetivo desse período, que é a preservação da vida e saúde da população paranaense”.

O dirigente destaca que decisão igual a de Ratinho e Feder levaram o Amazonas ao colapso do sistema de saúde, falta de oxigênio nos leitos hospitalares e aumento expressivo do número de mortes por Covid-19 naquele estado. “Por isso, nós temos posição contrária a retomadas de aulas presenciais, sem que haja vacinação e a segurança de que nenhuma vida será colocada em risco diante de medidas que podem ser prevenidas”, comentou.

Amazonas: colapso e professores/as infectados/as

Em novembro, o governador amazonense, Wilson Lima, que, assim com Ratinho, é aliado de Bolsonaro, determinou o retorno das aulas presenciais na região metropolitana de Manaus. Pouco menos de dois meses após essa data, os dados epidemiológicos mostravam alta expressiva nos números de casos da doença e ocupação dos leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nas redes hospitalares pública e privada.

De acordo com informações da prefeitura de Manaus, o número de sepultamentos aumentou cinco vezes em apenas um mês e, já nos primeiros dias do ano novo, a cidade bateu o recorde de internações em um único dia. O ápice da crise foi o fim do estoque de oxigênio nas unidades hospitalares, que levou pacientes à morte por asfixia.

No mês de agosto, a cidade de Manaus também realizou uma experiência de retorno das aulas presenciais com 106.294 mil alunos do Ensino Médio da rede estadual de ensino. Menos de 15 dias depois, 342 professores/as foram diagnosticados/as com o novo coronavírus. Os dados fizeram o governo suspender, naquele momento, a ideia de retomada das aulas presenciais para o Ensino Fundamental.

Paraná: ter leito não garante a vida

Em entrevista para o portal de notícias Banda B, o diretor de Gestão em Saúde da Secretaria da Saúde (Sesa), Vinícius Filipak, expressou preocupação com a situação da pandemia no Paraná.

“Estamos hoje, infelizmente, com o maior número absoluto de pacientes internados em hospitais, tanto em UTIs, quanto em enfermarias clínicas. Com 2.843 pessoas internadas, esse é o maior número que já tivemos em toda a evolução da pandemia, maior que no inverno”, disse.

Segundo o jornal, os números demonstram que a situação só não é caótica por conta da abertura de leitos no estado. Atualmente a taxa de ocupação nas UTIs é de 83%, enquanto a de enfermarias está em 62%.

Apesar disso, Filipak não descarta um colapso no Paraná e lembra que a situação é muito preocupante. Ele explica que não basta ter estrutura médica, se não há profissionais para fazer a ampliação.

“É importante salientar que, mesmo que tivéssemos leitos infinitos, a cada dez pacientes que internam para tratamento de Covid, duas a três morrem. É uma doença muito grave e ter leito não garante que o paciente irá retornar para o convívio familiar”, concluiu.

Assembleia Estadual

Amanhã (23), a partir das 9h, uma assembleia estadual extraordinária on-line convocada pela APP-Sindicato vai debater a decisão do governo paranaense de retornar as aulas presenciais. A possibilidade de greve não está descartada.

Os(as) educadores(as) vão decidir também novas ações buscando o atendimento das reivindicações da categoria, entre elas o novo calote da data-base anunciado neste mês pelo governador.

A opção de assembleia on-line é justificada pela pandemia do novo coronavírus, que impede a realização de eventos com aglomeração de pessoas. Para participar, é preciso fazer um cadastro prévio no endereço https://appsindicato.org.br/assembleia.

Para efetivar o acesso, é preciso informar o RG para criar um login e uma senha. A assembleia será realizada através da ferramenta de videoconferência. O(a) educador(a) receberá o link de acesso no e-mail utilizado no cadastrado.