Seed se recusa a informar o que todos já sabem sobre terceirização nas escolas

Seed se recusa a informar o que todos já sabem sobre terceirização nas escolas

"A responsabilidade de passar as informações corretas sobre o que está acontecendo é da Secretaria de Educação", afirma Nádia Brixner, secretária de Funcionários(as) da APP-Sindicato

A capacidade de gerar ruído para impedir uma comunicação franca e objetiva parece não ter limites na Secretaria de Educação do Estado do Paraná (Seed). Começou a circular nesta semana em  grupos de Whatsapp a informação de que a empresa Deuseg vai assumir os trabalhos que atualmente são feitos por funcionários de escola PSS na Área Metropolitana Norte de Curitiba e no Litoral. A APP-Sindicato confirmou com a empresa que ela de fato vai passar a realizar os serviços nas escolas. A Seed, por sua vez, se recusa a negar ou confirmar a informação, evidenciando o descaso com os 9.700 servidores(as) ameaçados de demissão.

“A responsabilidade de passar as informações corretas sobre o que está acontecendo é da Secretaria de Educação. Não podemos admitir que o departamento de recursos humanos da Secretaria não saiba dizer aos funcionários(as) se vão de fato ser demitidos no final do mês, se terão a possibilidade de serem contratados pelas empresas que vão fazer o trabalho nas escolas”, afirma Nádia Brixner, secretária de Funcionários(as) da APP-Sindicato.

Nádia ressalta que a APP-Sindicato continua na luta contra a terceirização e estranha que o nome da empresa Deuseg, que assumiria as escolas da Região Metropolitana Norte e do Litoral, tenha surgido em grupos de Whatsapp exatamente no mês em que será julgada no Tribunal de Justiça a Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a Lei 20.199, que permite a terceirização de mão de obra nas escolas. A Adin será julgada no dia 19 de abril. A Seed poderia aguardar essa definição da Justiça sobre a lei, mas preferiu precipitar os fatos e omitir informações aos servidores(as) PSS envolvidos na confusão que ela causou. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e a Federação Interestadual dos Trabalhadores em Educação participam dessa ação com a APP-Sindicato.

A APP-Sindicato apurou que, além da Deuseg, outras empresas também estão entrando em contato com as direções das escolas, como a Tecnolimp Serviços, que deve atender o NRE Curitiba e toda a Área Metropolitana Sul. A Deuseg confirmou informalmente que vai atuar em todas as escolas dos municípios da Área Metropolitana Norte de Curitiba e do Litoral. A empresa informou que vai priorizar a contratação dos(as) PSS que já estão atuando nestas escolas. Segundo eles, o RH da empresa vai telefonar para as escolas e a direção vai passar os dados dos funcionários(as) PSS que já trabalham na escola. O empresário secretário da Educação Renato Feder quer encerrar os contratos PSS no dia 30 de abril.

A APP-Sindicato continua cobrando resposta do Governo do Estado sobre o que de fato será feito em relação aos funcionários(as) PSS. A entidade reafirma que segue lutando contra o desemprego e pela revogação da lei da terceirização. “Queremos concurso público e respeito à nossa carreira”, afirma Nadia Brixner.