Roeu a corda? Ratinho Jr. não inclui previsão de Data-Base no orçamento de 2022

Roeu a corda? Ratinho Jr. não inclui previsão de Data-Base no orçamento de 2022

Governador enviou proposta de Lei Orçamentária para 2022 sem prever reajustes salariais para os(as) trabalhadores(as) que fazem o Estado funcionar

O Governo Ratinho Jr não dá trégua em sua guerra contra os(as) servidores(as) públicos(as) estaduais do Paraná.

Depois de seu líder na Assembleia Legislativa, Hussein Bakri, anunciar que a reposição estava garantida para 2022, faltando apenas definir o percentual, Ratinho Jr roeu a corda e enviou ao Legislativo uma proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) sem previsão de Data-Base para 2022.

O governo tenta enrolar o funcionalismo e afirmou, por meio dos secretários da Casa Civil e da Fazenda, “que está realizando um estudo aprofundado sobre o incremento.”

Não basta. Prestes a completar seis anos de salários congelados, os servidores(as) acumulam perdas inflacionárias que já passam dos 25%, agravadas pela alta generalizada nos alimentos e itens básicos como luz, gás e combustíveis. A APP e demais entidades lutam pela recomposição imediata do poder de compra da categoria e não aceitarão mais um ano de miséria.

O projeto apresentado na segunda-feira (4) classifica o reajuste dos(as) servidores(as) como “risco fiscal”. Segundo Ratinho Jr, não há arrecadação suficiente para pagar o que deve, cerca de R$ 2 bilhões.

Enquanto tira dos(as) trabalhadores(as) com uma mão, com a outra o governador entrega recursos públicos aos magnatas, com incentivos fiscais que chegam a R$ 17 bilhões em 2022. Este sim, um risco fiscal.

Sem palavra

“O Fórum das Entidades Sindicais dos Servidores Públicos do Paraná me procurou e estamos conversando sobre a data-base. Ainda não sei o índice, mas o reajuste será sim oferecido aos servidores, por quem o Governador tem enorme estima e respeito”, afirmou no dia 27 de setembro o líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri (PSD).

Os servidores estaduais do Paraná estão pagando sozinhos a conta do ajuste fiscal de Ratinho Jr. Em meio à crise econômica causada pela pandemia da Covid19, o governador colocou em prática um programa de transferência de renda dos(as) servidores(as) públicos(as) para os ricos do Paraná.

A avareza de Ratinho Jr. já está prejudicando as economias dos municípios, pois o arrocho dos salários dos(as) servidores(as) estaduais tem consequências graves para o comércio e os serviços.

Ele alega que as contas públicas não possibilitariam pagar o que é devido aos servidores, mas a realidade desmente o governador. O governo previu em 2020 um déficit de R$ 3,5 bilhões, mas fechou o ano com um superávit de R$ 5,8 bilhões. O mesmo deve acontecer em 2021 e no próximo.