Retrospectiva 2018 - abril: "Richa Nunca Mais" e APP reivindica pauta com a governadora Cida Borghetti

Retrospectiva 2018 – abril: “Richa Nunca Mais” e APP reivindica pauta com a governadora Cida Borghetti

Afastamento do governador permite a possibilidade de negociação entre educadores(as) e governo do Paraná

Abril se marcou pela saída do governador Beto Richa (PSDB) do cargo para se dedicar ao Senado. Um ´alívio´ para a educação pública! E a APP-Sindicato lançou a campanha “Richa Nunca Mais”: uma denúncia de que um político como ele não deve nunca mais representar os interesses da população em cargos públicos. A partir deste momento, o Sindicato volta suas atenções e reivindicações para a governadora Cida Borghetti (PP).

Inclusive, durante a Assembleia Estadual da APP, foram decididas soluções efetivas para a pauta da educação, principalmente em fase de ataques à democracia e da necessidade de melhorias na carreira e infraestrutura das escolas. Muitas foram as tarefas defendidas para o próximo período (recorde aqui). “Tô na pauta, tô na luta”, a educação não vai parar e a luta persiste sempre. Um dos pontos cruciais e de intensificação pelo avanço da pauta refere-se à Campanha Salarial 2018.

Como aprender é diário, iniciam-se os preparativos para a 11ª edição do Programa de Formação da APP, que este ano tem o seguinte tema central: “Democracia, Estado e Educação Pública para quem?”. É um avanço para a carreira dos(as) educadores(as) com certificação pela  Universidade Federal do Paraná (UFPR).

A APP traça no dia 27 de abril de 2018 seus 71 anos de história com muita luta e resistência pela escola pública paranaense, com suporte aos(às) seus(suas) sindicalizados(as). Afinal, é a importância da categoria unida para as conquistas.

Números aproximados mostram a importância e desempenho do 5º maior Sindicato brasileiro, que ocupa a terceira posição no ranking da educação nacional e o maior do Paraná:

– Sede estadual + 29 Núcleos Regionais
– Sindicalizados(as): 73 mil
– Professores(as) efetivos(as): 33 mil
– Professores(as) aposentados(as): 18 mil
– Funcionários (as): 12 mil
– Educadores(as) municipais: 10 mil

 Veja a retrospectiva da gestão Richa e os ataques sofridos pela educação:

 ::Governo Beto Richa: oito anos de ataques contra a educação pública

 

MENU