Ratinho Jr tenta forjar diálogo com estudantes utilizando formulário online

O documento disponibilizado em uma plataforma virtual, apresenta perguntas em formato de pesquisa; APP-Sindicato reforça que é necessário amplo debate além da consulta online

Imagem: Arquivo/Agência Brasil

O governo Ratinho Jr, por meio da Secretaria de Estado da Educação e Esportes (Seed) tenta mascarar suas práticas autoritárias e a exclusão dos(as) estudantes de debates importantes da educação lançando um questionário em uma plataforma online. Elaborado 

para atender estudantes de escolas públicas e privadas, do 8º ano do Ensino Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio,a consulta começa nesta quarta (11). A APP-Sindicato destaca que uma pesquisa realizada desta forma, tira a possibilidade de um amplo debate com a comunidade e trabalhadores(as) da educação.

Segundo a Secretaria Educacional do Sindicato, o modelo apresentado pela Seed exclui estudantes do processo de discussão e ignora a gestão democrática no processo de debate e construção da educação no Estado. A secretária Educacional da APP-Sindicato, Professora Taís Mendes, aponta também que o questionário não pode ser o único instrumento de consulta e análise. 

“Estamos fazendo um debate firme junto a Seed e ao Conselho Estadual de Educação (CEE), questionando principalmente a falta de participação da comunidade escolar. As consultas públicas são um instrumento importante, mas elas não podem sobrepor o debate feito nos colégios com Professores(as), Funcionários(as) de Escola, estudantes, pais e responsáveis. É necessário que todos(as) envolvidos na educação possam debater e opinar sobre o futuro da educação”, destaca a Taís Mendes.

A direção estadual da APP-Sindicato enfatiza ainda que a Seed impõe seu discurso no modelo de pesquisa apenas para legitimar o processo, gerando assim uma falsa expectativa de participação. 

“A nossa defesa sempre foi e sempre será pela Gestão Democrática. Defendemos em todos os espaços a participação efetiva dos(as) estudantes na construção deste projeto. É importante lembrar também, que a própria propaganda da Reforma do Ensino Médio trazia como destaque o protagonismo dos estudantes e Infelizmente não temos visto isto se consolidar. O Ensino Médio que defendemos é para todos(as), público de qualidade e com gestão democrática. Basta de autoritarismo e falsa democracia”, finaliza a Professora Taís Mendes. 

A APP-Sindicato reafirma a necessidade de amplo debate nos segmentos que debatem a educação para formular propostas para o Ensino Médio.