Ratinho descumpre acordo de 2006 e tenta demitir 114 funcionárias de escola do regime CLAD

Ratinho descumpre acordo de 2006 e tenta demitir 114 funcionárias de escola do regime CLAD

As funcionárias têm entre 55 e 65 anos e muitas estão em vias de se aposentar. A APP acionou o Ministério Público do Trabalho em busca de negociação

Em março do 2023, a funcionária de escola Tereza Aparecida Barbosa completaria a idade e o tempo de serviço necessários para se aposentar. Nesta segunda (21), ela recebeu do governo Ratinho Junior um comunicado anunciando a sua dispensa do Estado.

São, ao todo, 114 funcionárias – mulheres que tem entre 55 e 65 anos – que terão o seu contrato de trabalho pelo vínculo CLAD encerrado no final do ano. A modalidade de contratação foi extinta pelo Estado, mas em 2006 o governo firmou um acordo político assegurando a permanência das trabalhadoras até a aposentadoria.

Mais uma vez, Ratinho Junior desrespeita acordos prévios e, de forma desumana, arruína a vida de profissionais que dedicaram a vida à educação. “Como ser humano, a gente não vale nada para este governo”, afirma Bete Almeida, secretária de Funcionários(as) da APP-Sindicato.

Bete orienta que as funcionárias NÃO assinem o comunicado. A Secretaria de Assuntos Jurídicos do Sindicato estuda o tema e tomará as providências cabíveis. Pela manhã, a APP acionou o Ministério Público do Trabalho, solicitando uma mesa de negociação.

“A única renda da família da Terezinha é essa. Um salário mínimo, que já é pouco, mas é tudo que ela tem. Ela tem até esperança de mudar para uma empresa terceirizada, mas a gente sabe que estas empresas dificilmente contratam pessoas com mais de 50 anos. É cruel”, avalia Marco Aurélio Gaspar, dirigente do Núcleo Sindical de Irati, onde trabalha Tereza

Isso vai fechar em 5 segundos

MENU