Protesto e homenagens marcam 7ª Pedalada pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Protesto e homenagens marcam 7ª Pedalada pelo Fim da Violência contra as Mulheres

No Brasil, 503 mulheres são vítimas de agressão a cada hora, denunciou evento realizado nas ruas de Curitiba

Foto: CUT Paraná / Divulgação

A 7ª edição da Pedalada pelo Fim da Violência contra as Mulheres começou com um ato na Praça Santos Andrade, na manhã de domingo (24), no centro de Curitiba. Em seguida, militantes em defesa dos direitos das mulheres saíram em direção ao Parque Barigui, percorrendo diversas vias da região central da capital paranaense. O evento foi organizado pela CUT Paraná.

“A cada duas horas ocorre algum feminicídio no Brasil, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada, são 503 mulheres vítimas de agressão a cada hora, cinco espancamentos cada dois minutos. Estes índices nos colocam em posição de necessidade de luta para mudar essa realidade”, disse a secretária da Mulher da CUT Paraná, Anacélie Azevedo. Ela criticou ainda a “reforma” da Previdência apresentada pelo atual governo, que penaliza principalmente as mulheres e as pessoas mais pobres.

Nesta edição da pedalada também aconteceu uma homenagem para a professora Lirani Franco, dirigente estadual da APP-Sindicato que faleceu no dia 26 de fevereiro deste ano. “Ela dizia que veio ao mundo por amor, que escolheu lutar contra as injustiças e nunca se arrependeu das escolhas que fez. Enfrentou os coronéis na cidade onde nasceu, não teve medo de levantar a hora que fosse para estender a mão e acolher alguém. Ela sempre disse: tenham coragem”, relatou o companheiro da professora, Edson Cruz.

As informações são da CUT Paraná. Clique aqui para conferir o álbum de fotos e outros detalhes do evento.