Proposta do Referencial Curricular do Novo Ensino Médio chega ao Conselho Estadual de Educação, após consulta pública da Seed

Proposta do Referencial Curricular do Novo Ensino Médio chega ao Conselho Estadual de Educação, após consulta pública da Seed

APP-Sindicato cobra, desde o início, a democratização do processo e o respeito a autonomia das escolas e professores(as) e estudantes

Desde a proposta original da Reforma do Ensino médio, a APP-Sindicato tem manifestado o desacordo com as deliberações do governo federal e estadual. De lá para cá, houve a aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o Ensino Médio com mudanças significativas na organização curricular.

Para dar conta do processo aligeirado imposto pelos governos Temer  e Bolsonaro, no Paraná aprovou-se um cronograma de trabalho para elaborar as Diretrizes Complementares do Novo Ensino Médio e o Referencial Curricular. Nesse início de 2021, a Secretaria da Educação promoveu uma consulta on-line sobre o Referencial Curricular do Novo Ensino Médio. Isso ocorreu entre os dias 2 a 28 de fevereiro. Segundo a Seed houve mais de 2000 participações feitas a partir de um questionário que era um verdadeiro engodo, pois foi apresentado com questões fechadas, sem a possiblidade de uma participação analítica mais ampla, passando assim uma falsa ideia de democratização do processo. Na avaliação da APP-Sindicato, outra grande dificuldade do processo de consulta popular foi a sua realização durante a pandemia, em período de grande dificuldade na organização da dinâmica escolar.

A secretária educacional da APP-Sindicato e representante do Sindicato no Conselho Estadual de Educação (CEE), professora Taís Mendes relembra que foi pela iniciativa da APP-Sindicato que aconteceram as audiências públicas nos Núcleos Regionais de Educação (NREs).  As audiências aconteceram lá em 2017, logo após a aprovação do Novo Ensino Médio, durante o governo Temer e a APP-Sindicato acompanhou todas. Em todas as audiências, a maioria dos(as) participantes optou por não aderir às mudanças, fato ignorado pela Seed. “O Paraná, foi contra a Reforma do Ensino Médio. Agora, na última quarta-feira, dia 31, A Seed encaminhou ao  Conselho Estadual de Educação o Referencial Curricular do Novo Ensino Médio, já com as contribuições da Consulta Pública. Esse documento será analisado e debatido junto com as Diretrizes Complementares para o Novo Ensino Médio. Em junho esses dois documentos irão a consulta pública, tanto as Diretrizes quanto o Referencial Curricular, sendo que em julho, o Conselho irá aprovar o documento final”, explica Taís

A APP  tem em todo reafirmado a necessidade de se contemplar as Diretrizes Curriculares do Estado do Paraná, pelo seu caráter democrático e participativo em todas a etapas de sua construção e pela consideração dos princípios epistemológicos e pedagógicos expressos no documento.

“A  proposta desenha pelo governo estadual, ao contrário do que propõe ser, é excludente e não resolverá os principais problemas do ensino médio, ao contrário, tenderá a produzir ainda mais exclusão e evasão, como o fato do estado estar incidindo no fechamento de várias turmas do ensino noturno”, analisa o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão

 

Leia também:

:: Proposta do governo Ratinho Jr. é autoritária e neoliberal