Projeto do governo Bolsonaro acaba com política de valorização do salário mínimo

Proposta prevê reajuste apenas para os militares e desvalorização do salário mínimo

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O governo Bolsonaro enviou nesta segunda-feira(16) ao Congresso Nacional mais um projeto que mata uma conquista dos sindicatos e da classe trabalhadora. Se o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) apresentado pela equipe econômica for aprovado não haverá mais aumento real. A proposta leva em conta somente a reposição da inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

A política de valorização do salário mínimo é adotada desde 2004 e foi estabelecida por lei desde 2007. A fórmula, negociada pelas centrais sindicais com o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, concede aumento real de acordo com o crescimento do PIB referente ao ano anterior. De acordo com Dieese, caso não houvesse esse mecanismo, hoje o salário mínimo seria de R$ 573.

Reajuste só para os militares – No projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano que vem também não há previsão e realização de qualquer concurso público. Também não há previsão de reajustes para o funcionalismo público, exceção feita aos militares, que terão ganhos de acordo com a reestruturação da carreira proposta pelo governo.

As informações são da Rede Brasil Atual. Clique AQUI e leia a íntegra da matéria.