Professores(as) PSS se reúnem para definir ações contra demissões arbitrárias

Durante a reunião, advogados explicaram sobre a situação do mandado de segurança e destacaram a importância da união dos(as) Professores(as)

Foto: APP-Sindicato

Na tarde desta segunda-feira (10), Professores(as) do Processo Seletivo Simplificado (PSS) que sofreram com as demissões arbitrárias feitas pelo governo Ratinho Jr (PSD) se reuniram na sede estadual da APP-Sindicato para discutir os próximos passos que devem ser tomados na luta por respeito à estes(as) trabalhadores(as). Em todo Paraná, pelo menos 500 famílias sofrem com as demissões, que foram realizadas sem justificativa e desrespeitando o compromisso entre o Sindicato e a Seed para a prorrogação da vigência dos mais de 21 mil contratos PSS feitos pelo governo em 2019.

Durante a reunião, dirigentes sindicais e advogados da APP-Sindicato explanaram sobre a atual situação do mandado de segurança e enfatizaram a importância da união destes(as) Professores(as), além da necessidade de juntar o máximo de documentos que comprovem a ação arbitrária do governo.

O coordenador do departamento estadual de PSS, Elio da Silva, explica que foram acordadas algumas ações que devem ser feitas nos próximos dias, além de uma reunião com a diretoria da Secretaria Estadual de Educação e Esportes (Seed). “Solicitamos também que os(as) Professores(as) encaminhem vídeos relatando e denunciando essa medida do governo e também que repercutam esse ataque nas redes sociais. Convidamos também a todos(as) para que possamos fazer a luta coletiva, pois o contrato PSS é bastante precário e tanto os(as) Funcionários(as) quanto os(as) Professores(as) têm sofrido essa precariedade. A luta tem que ser coletiva, a saída é coletiva”.

Os(as) Professores(as) interessados em enviar o relato podem encaminhar os vídeos para o e-mail imprensa@app.com.br ou pelo whatsapp da imprensa: (41) 9249-2328.

Confira a nota do departamento de PSS’s sobre o tema:

ATENÇÃO

A secretaria de assuntos jurídico da APP-Sindicato  solicita aos(as) profissionais PSS que foram demitidos o envio de documentos para instrução do mandado de segurança contra as demissões arbitrárias. Como a Seed alega que as demissões foram deliberadas pelo Conselho Escolar, o(a) professor(a) pode enviar cópia do edital de convocação e da ata da reunião. Outro tipo de documentação que pode ser enviada é a que comprove desrespeito à ordem de classificação, como comprovante de inscrição e classificação do(a) professor(a) demitido e publicação constando a contratação de outro(a) professor(a), com classificação inferior, para assumir a vaga.

Os documentos precisam ser digitalizados e enviados para o e-mail juridico@app.com.br. Fotografia dos documentos não tem como ser utilizada no processo.

Dep. Estadual de PSS – Professores(as) e Funcionários(as)


Confira mais informações sobre a luta dos PSS:

:: PSS: orientações aos(às) professores(as) que tiveram contratos cancelados
:: PSS demitidos(as) se reúnem na APP-Sindicato
:: Seed muda versão para demissão de professores(as) PSS e culpa Conselho Escolar
:: APP-Sindicato cobra compromisso do governo com professores(as) PSS
:: Professores(as) PSS demitidos(as) realizam mobilização nesta terça-feira (7)
:: Governo Ratinho Junior demite professores(as) PSS sem justificativa