Professores(as) e funcionários(as) mantêm ocupação na Alep

Professores(as) e funcionários(as) mantêm ocupação na Alep

Governo sinaliza com rompimento do diálogo que, segundo educadores(as), nunca aconteceu

Foto: APP-Sindicato

Educadores(as) ocuparam na tarde desta quarta-feira (18), o prédio da Assembleia Legislativa do Paraná após o governo sinalizar que não atenderia o pedido da categoria de suspensão da prova para contratação de Professores(as) PSS. Na tentativa de obter apoio o de Deputados(as), cerca de 100 pessoas continuam no prédio exigindo uma resposta do governo.

O presidente da APP-Sindicato destaca que a ocupação é uma resposta à falta de diálogo com a gestão, que conhece as reinvindicações da categoria e desrespeita as mesmas com ações autoritárias. “Isso é consequência da postura do governador do Estado e do secretário da educação, Renato Feder de conhecer a pauta e desrespeitar toda a categoria, estudantes e comunidade escolar e sociedade com suas ações, pois a educação é um patrimônio da sociedade e não do governo”, diz Hermes Leão.

Segundo a direção estadual da APP-Sindicato, o contrato de quase R$ 4 milhões para a realização da prova foi feito sem licitação. Além disso, devido à pandemia, a prova seria um risco para a saúde de quase 100 mil pessoas que segundo o governo, poderiam se inscrever.

A contratação de Professores(as) e Funcionários(as) por meio do PSS ocorre há 15 anos no Paraná e nunca foi realizada com prova e cobrança de inscrição. O pedido do sindicato foi sempre de ampliação de contratações via concurso público, já que todos os anos são cerca de 28 mil profissionais temporários contratados.