Professores(as) de Fazenda Rio Grande iniciam 'Operação Tartaruga'

Professores(as) de Fazenda Rio Grande iniciam ‘Operação Tartaruga’

Educadores(as) municipais cobram do prefeito o pagamento de atrasados e o direito à hora-atividade

Fazenda Rio Grande, município da região metropolitana de Curitiba, amanheceu hoje (06) com uma movimentação atípica. Centenas de professores(as) da rede municipal de ensino iniciaram uma paralisação parcial das aulas e foram às ruas cobrar do prefeito o pagamento de promoções e progressões (há casos em que o atraso na implementação é de mais de seis anos); o pagamento do auxílio-saúde (atrasado desde agosto do ano passado) e a implementação dos 33% de hora-atividade.

De segunda até sexta-feira (10) os(as) professores farão manifestações diárias em frente à prefeitura das 7h30 às 8h30 e das 13h às 14h30. Neste período, não haverá aula. Com o expediente reduzido nas escolas, a mobilização ganha o nome de Operação Tartaruga. “Na última assembleia regional, no dia 30 de abril, a categoria decidiu que paralisação parcial seria uma forma de apelo para que o prefeito ouça o sindicato. Tentamos, de diversas formas, garantir que a lei e os direitos dos educadores municipais fossem cumpridos e respeitos, e não obtivemos sucesso, agora queremos uma mesa de negociação”, explica a presidente do Núcleo Sindical Metrosul,  professora Simone Barbosa.

Neste primeiro dia da ‘Operação Tartaruga’ mais de 2 mil servidores(as) municipais aderiram ao movimento e há possibilidade de paralisação total das atividades no dia 15 de maio.