Professora é ameaçada por alunas em Foz do Iguaçu: "vou chegar com um facão nela já" APP-Sindicato

Professora é ameaçada por alunas em Foz do Iguaçu: “vou chegar com um facão nela já”

Insatisfeitas com a nota de um trabalho, estudantes enviaram declarações contra a vida da docente em um aplicativo de mensagens

Imagem: Reprodução / redes sociais

>> Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram

Nesta segunda-feira (3), a educadora usou as redes sociais  para denunciar a situação e fez um desabafo. “Eu exigi um trabalho, elas não cumpriram o combinado, então eu disse que não avaliaria determinada nota, que seria menos, e isso custou a minha paz. O meu sonho era ser professora e hoje esse sonho está se tornando um pesadelo”, disse.

Daiane conta que as mensagens foram enviadas pelas alunas em um grupo de Whatsapp na última sexta-feira (30) e chegaram até ela através de outros(as) estudantes que copiaram a imagem da tela do aplicativo contendo o registro das ameaças.

Reprodução / redes sociais

A professora relata que recebeu todo o apoio da direção e da equipe pedagógica da escola e que procurou o Ministério Público para representar contra as estudantes. Ela diz também que vai comunicar o fato ao Núcleo Regional de Educação e registrar um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

Ainda segundo Daiane, em razão dos recentes ataques contra unidades de ensino, a Guarda Municipal foi acionada e esteve na escola para adotar os procedimentos dos protocolos de prevenção e segurança.

Alerta

“Alunos, não pensem que nada acontece, os pais que vão responder. Pensem bem nas atitudes de vocês. Não adianta se esconderem na internet, porque tudo é descoberto”, fala a professora em discurso aos jovens.

A educadora também explica aos(às) estudantes que ameaçar a vida de outra pessoa é algo muito grave e jamais será interpretado como uma brincadeira. “Então a minha vida vale vinte pontos? Esse é o valor da minha vida? Repensem bem”, destaca.

Nota da APP

A APP-Sindicato repudia veementemente o ocorrido, pois é inaceitável que uma professora seja vítima de ameaças contra a sua vida ou qualquer outra forma de violência e principalmente quando isso é motivado pelo exercício da sua atividade profissional. 

Reafirmando o nosso compromisso irrestrito na defesa dos(as) trabalhadores(as) da educação, o Sindicato manifesta toda solidariedade à professora Daiane Cleveston Krever e seguirá acompanhando o caso, para que as devidas providências sejam tomadas pelas autoridades responsáveis.

A APP reforça a importância da participação de mães, pais e responsáveis no acompanhamento das ações de seus(suas) filhos(as) na internet e nas atividades escolares, de modo a garantir que a escola seja um lugar seguro para todos(as) e de efetivação de uma educação libertadora.

MENU