Prefeitos(as) fazem o que governador se recusou a fazer e dizem "não" às aulas presenciais

Prefeitos(as) fazem o que governador se recusou a fazer e dizem “não” às aulas presenciais

Pressão da categoria e da comunidade escolar fez com que, pelo menos, 50 prefeituras adiassem o retorno às escolas

O governo do Estado do Paraná ignora completamente o atual cenário da pandemia e convocou para hoje(24) a abertura gradual de mais 400 escolas em todo Paraná. De acordo com a deliberação da Seed, mais de 600 instituições o deveriam funcionar no modelo híbrido de ensino. A APP-Sindicato refirma seu compromisso com a vida e mantém a decisão do Comando Estadual de Greve orientando greve das aulas presenciais nas escolas onde foi convocado o retorno.

No entanto, em mais de 50 cidades,  após intenso trabalho junto às prefeituras, os(as) próprios(as) prefeitos(as) emitiram decretos suspendendo as aulas presenciais e mantendo o modelo de aulas online, conforme defende a APP-Sindicato.

Para o secretário de Assuntos Municipais, professor Celso José dos Santos a sociedade passa por um momento de grande apreensão devido ao impacto da pandemia e esse clima coletivo de insegurança impacta diretamente nas escolas. “Ao longo dessa semana divulgamos o estudo atualizado realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas do Amazonas em vários municípios, chamando a atenção dos prefeitos e dos Núcleos de Educação sobre a importância da suspensão das aulas presenciais”, afirma o secretário.(Veja aqui na íntegra o estudo)

Diante da omissão do governo do Estado, a APP-Sindicato continuará fortalecendo o trabalho junto aos(às) prefeitos, vereadores(as), chefes de Núcleos e diretores(as), como uma forma de garantir que o ambiente escolar não seja um novo foco de transmissão da doença. “Estamos em um  momento em que a prioridade é garantir a segurança e a vida dos educadores, dos estudantes e dos familiares. Vamos continuar o nosso trabalho com as lideranças municipais e estaduais para que haja a vacinação de toda categoria antes do retorno presencial”, reforça o professor. Abaixo, o secretário de Assuntos Municipais da APP-Sindicato explica o trabalho que vem sendo feito nas regionais:

 

DECRETOS MUNICIPAIS QUE SUSPENDEM RETORNO DAS AULAS NA REDE ESTADUAL EM 24/05 (conforme levantamento do Portal Porém.net):

1-Guarapuava
2- Palmital
3- Maringá
4- Paiçandu
5 -Paulo Frontin
6-União da Vitória
7- Irati
8- Guaratuba – prefeito suspendeu sem decreto
9- Astorga
10- Porecatu
11- Mirasselva
12- Goioere
13- Janiopolis
14- Mamborê
15- Moreira Sales
16- Ubiratã
17 – Curitiba – suspensão da volta sem decreto
18- Faxinal
19- Paraíso do Norte
20- Matinhos
21- Morretes
22 – Juranda
23 – Nova Aurora (Decisão dos diretores/sem decreto)
24. Ariranha do Ivaí, (decreto municipal).
25. Lidianópolis (decreto municipal).
26. Cândido de Abreu (Decreto municipal)
27. Lunardelli (decreto municipal)
28. Rosário do Ivaí. (Decreto municipal até o dia 30/05)
29. Godoy Moreira
30. Grandes Rios.
31.Jundiaí do Sul
32.Guapirama
33.Abatiá
34.Andirá
35.Itambaracá
36- Sao Jose dos Pinhais
37- Piraquara
38. Guaraniaçu
39. Pato Branco
40. Jaguariaíva
41. Nova Esperança.
42. Loanda.
43. Santa Isabel do Ivaí
44. Inajá
45. Santa Mônica
46. Marilena
47. Itaúna do Sul
48. São Pedro do Paraná
49. São João do Caiuá
50. Amaporã

Diante do quadro grave da pandemia pelo Covid-19 no Paraná e a ameaça do governador Ratinho Jr. de retorno das atividades presenciais, a APP-Sindicato iniciou uma campanha de verificação das escolas. O Sindicato reafirma que é necessário que Educadores(as), pais e comunidade escolar chequem as condições de biossegurança das unidades e lutem pela garantia da vida e saúde de todos(as).

A partir desta necessidade, a APP-Sindicato construiu um protocolo de verificação das condições sanitárias das escolas, o qual deve nortear os(as) Educadores(as) durante as inspeções dos Colégios. Além de enfatizar a necessidade da vacinação dos(as) profissionais da educação e estudantes, o documento aponta o passo a passo da fiscalização das escolas.

“Sabemos que as escolas não têm condições sanitárias para esse retorno, então é importante que os(as) integrantes das comissões preencham todo o formulário e encaminhem fotos e demais materiais”, explica a Vice-Presidenta da Confederação Nacional dos(as) Trabalhadores(as) em Educação (CNTE), professora Marlei Fernandes.

O formulário pode ser acessado neste link e as fotos deverão ser encaminhadas para o e-mail denuncia@app.com.br. É importante a participação dos(as) trabalhadores(as), que devem denunciar o governo, que mente na mídia, desmascarando Ratinho Jr com evidências reais das atuais condições sanitárias das escolas paranaenses.

Leia mais:

Retomada de aulas presenciais: hipocrisia, negacionismo e necropolítica