Por Data-Base, educadores(as) reforçam "recepções" ao governador em todo o Paraná

Por Data-Base, educadores(as) reforçam “recepções” ao governador em todo o Paraná

No final de semana, trabalhadores(as) deram plantão para “recepcionar” o governador em Tibagi e em Paranavaí , mas ele não compareceu

Os(as) educadores(as) do Paraná seguem mobilizados para “recepcionar” Ratinho Jr nas agendas oficiais dele. Intensificar as mobilizações junto às agendas do governador é uma das deliberações da assembleia da categoria ocorrida na sexta-feira (27), pressionando pelo pagamento da Data-Base. 

No final de semana, educadores(as) deram plantão para receber o governador em Tibagi, na abertura da competição de canoagem local, e em Paranavaí, na entrada do Parque de Exposições, mas o governador não compareceu.

Apesar da ausência, os(as) educadores(as) entregaram documento a representantes do governo apresentando as reivindicações da categoria e demonstrando que há recursos para quitar parte da dívida do Estado.

A defasagem salarial dos educadores(as)  já supera 36%, depois de seis anos sem o devido pagamento da Data-Base.

Junho de Lutas

A Assembleia Estadual da APP realizada na sexta-feira (28) aprovou um intenso calendário de lutas em defesa do pagamento da Data-Base. A agenda culmina em paralisação no dia 21, com ato estadual em Curitiba, caso o governo não apresente uma proposta até lá.

Em função dos prazos legais do período eleitoral, o mês de junho é crucial para avançar nas reivindicações da categoria, em especial a Data-Base. Há prazo legal até 1º de julho para a recomposição das perdas inflacionárias dos últimos 12 meses (12,13%). Outros 3,39% já estão aprovados(as) e podem ser pagos independentemente do período eleitoral.

O calendário de mobilizações aprovado na Assembleia prevê o trabalho de base nas escolas e realização de conselhos regionais ampliados; atos de aposentados(as) em Curitiba dias 7 e 8 de junho, para pressionar deputados(as) pela Data-Base e pela ampliação da isenção previdenciária para o teto do INSS; e semana de mobilização nas escolas em 14 e 15 de junho; além de paralisação e ato estadual em Curitiba no dia 21 de junho.

 

MENU