Pesquisa de grupo de estudos da Unespar quer mapear condições de trabalho, ensino e aprendizagem durante período de pandemia

A pesquisa busca construir um conjunto de dados estatísticos que possam subsidiar as discussões sobre as condições de trabalho dos profissionais da educação

Imagem: Arquivo/Agência Brasil

Será lançada hoje (08), às 17h, nos canais de Facebook e Youtube da APP Sindicato, uma pesquisa que busca mapear os impactos do ensino remoto durante a pandemia no trabalho dos profissionais de educação e nas condições de ensino e aprendizagem dos estudantes. A pesquisa é desenvolvida pelo Grupo de Estudos das Teorias e Práticas Pedagógicas na Perspectiva Crítica da Educação Escolar (GTPEC) da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), em parceria com a APP Sindicato.

Coordenada pela professora Edinéia Navarro Chilante, docente do colegiado de Pedagogia do campus de Paranavaí e pelo professor Celso Santos, da APP Sindicato, trata-se de uma ampla pesquisa realizada por meio de formulário eletrônico junto aos professores das redes municipais e estaduais e profissionais das escolas, e também com familiares e/ou responsáveis e estudantes do Ensino Médio.

A coleta de dados será realizada em duas etapas. Nesta primeira etapa, professores das redes municipais, responsáveis e familiares de estudantes de qualquer série ou ano, e estudantes do Ensino Médio, são convidados a participar por meio dos formulários abaixo:
PROFESSORES(AS) DAS REDES MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO BÁSICA DO PARANÁ
FAMILIARES/RESPONSÁVEIS
ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO

Conforme destaca a coordenadora Edinéia Navarro, a expectativa é, a partir da pesquisa, construir um conjunto de dados estatísticos que possam subsidiar as discussões sobre as condições de trabalho dos profissionais da educação, e, ainda, as estratégias de retomada do processo de ensino e aprendizagem em atividades presenciais, quando autorizadas com segurança. “Para a Unespar, abre-se o necessário diálogo e envolvimento com a educação básica, de modo a construir políticas de formação inicial e continuada dos profissionais da educação em nosso Estado”, complementa.

A pesquisa está registrada no Conselho de Ética em Pesquisa da Unespar, sob n. 36948720.7.0000.9247