O futuro da educação em debate: sede da APP em Curitiba receberá etapa estadual da Conae 2024 APP-Sindicato

O futuro da educação em debate: sede da APP em Curitiba receberá etapa estadual da Conae 2024

Evento é a culminação de um amplo debate democrático com vistas a contribuir para o novo Plano Nacional de Educação

:: Receba notícias da APP por Whatsapp ou Telegram

Nos dias 27 e 28 de novembro, a sede da APP-Sindicato em Curitiba recebe cerca de 600 delegados(as) representando todo o estado, o poder público e diversos segmentos sociais e educacionais para formular, debater e construir propostas para o novo Plano Nacional de Educação (PNE).

É a etapa estadual da Conferência Nacional Extraordinária da Educação (Conae 2024), a coroação de um extenso ciclo de debates que envolveu 32 etapas regionais, 19 plenárias dos segmentos educacionais e setores sociais ao longo de outubro e novembro. Ao todo, mais de 6.000 pessoas participaram dos espaços de discussão. 

Sob a coordenação do Fórum Estadual de Educação (FEE), o objetivo do evento é refletir sobre os desafios da educação brasileira, eleger delegados(as) e construir coletivamente propostas para a etapa nacional, marcada para os dias 28, 29 e 30 de janeiro, em Brasília.

Participação

As discussões também devem orientar a formulação dos planos estaduais e municipais de educação, “visando ao fortalecimento da cooperação federativa em educação e do regime de colaboração entre os sistemas”, conforme o regimento aprovado pelo Fórum Nacional de Educação (FNE).

A Conae é de especial importância para os educadores e educadoras, tanto pela defesa da escola pública quanto pelos impactos na vida profissional e funcional da categoria. Entre os eixos de debate, constam a valorização profissional, garantia de acesso à formação inicial e continuada, piso salarial, carreira e condições de trabalho e saúde.

Mas a edição deste ano se caracteriza pela ampliação do debate com a inclusão de setores sociais como os movimentos negro, indígena, mulheres, quilombola, PCDs, estudantes, mães, pais e responsáveis, entre outros. A novidade permite um olhar sobre a educação a partir daqueles(as) que a têm como um direito social, para além dos segmentos educacionais.

A construção da Conae envolveu o engajamento de atores públicos e privados, bem como de todas as entidades que compõem o FEE, contemplando uma diversa gama de posicionamentos, da Secretaria da Educação à APP-Sindicato, passando pela educação privada e o ensino público superior. 

Mais de 2.700 emendas ao texto base elaborado pelo Fórum Nacional de Educação foram propostas nas plenárias e etapas regionais. Nesta semana, uma comissão do FEE sistematiza as emendas para discussão na etapa estadual. O sistema desenvolvido pela APP para registrar, organizar e sistematizar as emendas está sendo utilizado em todo o país, inclusive pelo MEC. 

Reconstrução

Sob coordenação do Fórum Nacional de Educação, com o apoio técnico, administrativo e financeiro do Ministério da Educação, a Conae 2024 tem como tema o novo PNE: “Plano Nacional de Educação (2024-2034): política de Estado para a garantia da educação como direito humano, com justiça social e desenvolvimento socioambiental sustentável”.   

Após anos de restrição à participação de entidades de classe e movimentos sociais, conquistamos junto ao governo federal a recomposição do Fórum Nacional de Educação em março de 2023. O FNE é um espaço de interlocução entre a sociedade civil e o Estado brasileiro; reivindicação histórica da comunidade educacional e fruto da deliberação da Conae de 2010.

A realização de uma conferência extraordinária nasce da urgência de estabelecer um novo PNE e de reconstruir o protagonismo da sociedade na superação dos desafios educacionais.

A expectativa é que a Conferência resulte em proposições acerca de diretrizes, objetivos, metas e estratégias para a próxima década da educação no país, em articulação com os planos decenais de educação nos estados, Distrito Federal e municípios, fortalecendo a gestão democrática, a colaboração e a cooperação federativa para o enfrentamento das desigualdades e garantia de direitos educacionais.

Confira os sete eixos que compõem a Conae 2024: 

Eixo I – O PNE como articulador do Sistema Nacional de Educação, sua vinculação aos planos decenais estaduais, distrital e municipais de educação, em prol das ações integradas e intersetoriais, em regime de colaboração interfederativa; 

Eixo II – A garantia do direito de todas as pessoas à educação de qualidade social, com acesso, permanência e conclusão, em todos os níveis, etapas e modalidades, nos diferentes contextos e territórios; 

Eixo III – Educação, Direitos Humanos, Inclusão e Diversidade: equidade e justiça social na garantia do Direito à Educação para todos e combate às diferentes e novas formas de desigualdade, discriminação e violência; 

Eixo IV – Gestão Democrática e educação de qualidade: regulamentação, monitoramento, avaliação, órgãos e mecanismos de controle e participação social nos processos e espaços de decisão;

Eixo V – Valorização de profissionais da educação: garantia do direito à formação inicial e continuada de qualidade, ao piso salarial e carreira, e às condições para o exercício da profissão e saúde; 

Eixo VI – Financiamento público da educação pública, com controle social e garantia das condições adequadas para a qualidade social da educação, visando à democratização do acesso e da permanência; 

Eixo VII – Educação comprometida com a justiça social, a proteção da biodiversidade, o desenvolvimento socioambiental sustentável para a garantia da vida com qualidade no planeta e o enfrentamento das desigualdades e da pobreza.


:: Leia mais:

:: Fórum Nacional de Educação divulga texto-base da Conae 2024 e vídeos para subsidiar debates
:: Primeiro webinário da Conae 2024 debate a garantia da educação como direito e política de Estado
:: Lançamento da Conae 2024 no Paraná marca retomada da participação popular e valorização da educação
:: Conae 2024: webinários do MEC e do FNE fomentam debate de propostas para etapas regionais e estaduais

MENU