"O ano das nossas vidas": Conselho da APP aprova indicativo de paralisação no 30 de agosto

“O ano das nossas vidas”: Conselho da APP aprova indicativo de paralisação no 30 de agosto

As propostas serão levadas para debate e avaliação da categoria na Assembleia Estadual, a ser realizada presencialmente no dia 13 de agosto

>> Quer receber notícias da APP pelo whatsapp ou telegram? Clique aqui.

É consenso entre os conselheiros(as) que representam os(as) educadores(as) de todas as regiões do Paraná: o ano de 2022 será definidor.

O período enseja a oportunidade de superar o projeto político de destruição da escola pública e dos direitos da categoria. Mas o engajamento dos(as) educadores(as) será crucial para definir como será a nossa vida e a qualidade da educação nos próximos quatro anos.

“Nós acreditamos na luta. Na guerra entre capital e trabalho, a luta nunca se encerra. Mas pode ser mais ou menos árdua. Estamos há oito anos lutando para não perder e chegou a hora de romper este ciclo”, avalia a presidenta da APP-Sindicato, Walkiria Mazeto.

Luto e luta

Reunido na noite desta terça (9), o Conselho Estadual aprovou um calendário de mobilizações cuja centralidade é a janela eleitoral, até outubro. Um indicativo de paralisação e ato estadual no 30 de agosto será levado à Assembleia da categoria, que ocorre neste sábado (13).

A data marca os 34 anos do massacre no Centro Cívico de Curitiba. De um lado, centenas de policiais, cavalos, cães e bombas a mando do então governador Beto Richa. Do outro, milhares de educadores(as) em greve por direitos, salário digno e melhores condições de trabalho.

Mas o massacre nunca parou. Além da memória, a greve por tempo determinado trará como pautas a Data-Base – defasada em quase 40% -, o pagamento das promoções e progressões, o aumento da faixa de isenção do desconto previdenciário para aposentados(as) e a revogação da Reforma do Ensino Médio.
Outras deliberações que serão debatidas na Assembleia Estadual incluem a entrega de propostas da categoria para os(as) candidatos(as) às eleições, intensificação do trabalho de base e ações diversas de comunicação. O detalhamento das propostas será encaminhado para os núcleos sindicais.
MENU