Núcleo Regional de Educação de Curitiba manda recolher livro “O Avesso da Pele” de todas as escolas APP-Sindicato

Núcleo Regional de Educação de Curitiba manda recolher livro “O Avesso da Pele” de todas as escolas

Obra literária apresenta racismo e violência como temas centrais e tem sido alvo de fakenews e tentativas de censura por bolsonaristas

Foto: Divulgação

A chefe do Núcleo Regional de Educação de Curitiba (NRE Curitiba), Laura Patrícia Lopes, determinou o recolhimento de todos os exemplares da obra “O Avesso da Pele”. O livro foi incluído no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) pela gestão Bolsonaro, mas tem sido alvo de notícias falsas e tentativa de censura por bolsonaristas. 

A ordem é para que todos “os colégios sob a jurisdição do NRE de Curitiba realize (sic) a entrega da obra” entre hoje (5) e sexta-feira (8). “Colocar os livros em envelopes e ou caixas, já com a identificação da escola e a quantidade. Local de entrega: Setor pedagógico – NRE de Curitiba. Rua Salvador Ferrante – 1651, aos cuidados de: Izabel Rodrigues Godoi ou Vanessa de Souza”, orienta o documento.

No texto, a chefia do NRE alega “a necessidade e a importância da orientação para a realização de encaminhamentos pedagógicos a partir dos livros que fazem parte do Programa PNLD literário”, mas tem como alvo apenas “O Avesso da Pele”. Sem detalhes, o ofício (leia a íntegra no final da matéria) encerra informando que a obra passará por análise pedagógica e posterior encaminhamentos.

Para a APP-Sindicato, a deliberação representa um grave ato de censura que deve ser imediatamente contido pelas instituições competentes, pois é intolerável que os absurdos praticados durante a ditadura militar de 1964 sejam repetidos no presente e, principalmente, no ambiente escolar.

Esse episódio entra para história como um dia triste e reforça a necessidade de denunciar e combater a contaminação da educação pública paranaense por ideologias extremistas, conhecidas pela negação dos direitos humanos e por atentar contra a democracia, a cultura, a diversidade e a pluralidade de ideias.

Foto: Divulgação

Obra premiada

De autoria do professor Jeferson Tenório, O Avesso da Pele é um romance que traz o racismo e a violência como temas centrais. O livro tem 192 páginas e foi publicado pela editora Companhia das Letras em 2020. No ano seguinte, ganhou o Jabuti, o mais tradicional prêmio de literatura do país.

Nos últimos dias, tentativas de censura ao livro ganharam repercussão nacional, após uma diretora de escola do Rio Grande do Sul fazer interpretações equivocadas sobre a obra e publicar na internet um pedido para que os exemplares fossem recolhidos.

“Lamentável o governo federal, através do MEC, adquirir esta obra literária e enviar para as escolas com vocabulários de tão baixo nível para serem trabalhados com estudantes do ensino médio”, escreveu em seu perfil. De acordo com informações, a publicação já foi apagada.

Sobre o caso do RS, Tenório se manifestou afirmando que as distorções e fake news são estratégias de uma extrema direita que promove a desinformação e não se incomoda com o racismo, a violência policial e a morte de pessoas negras.

“Não vamos aceitar qualquer tipo de censura ou movimentos autoritários que prejudiquem estudantes de ler e refletir sobre a sociedade em que vivemos”, diz o escritor, que agradeceu o apoio recebido da editora e de todos que se manifestaram contra as tentativas de censura.

Ao contrário de notícias falsas que circulam na internet, a escolha do livro não foi feita pelo governo do presidente Lula (PT). A análise da obra e inclusão no PNLD aconteceu na gestão Bolsonaro. O programa compra e distribui obras didáticas e literárias para as escolas públicas de todo o país. Os livros passam por uma rigorosa avaliação de especialistas e cada escola decide quais os títulos deseja receber.

Leia abaixo a íntegra do ofício do NRE Curitiba.

Oficio_NRE_Curitiba_Censura_O_Avesso_da_pele

 

MENU