Nova etapa de formação debate Mulheres, Racismo e Desigualdade a partir de Paulo Freire

Nova etapa de formação debate Mulheres, Racismo e Desigualdade a partir de Paulo Freire

Atividade faz parte do Programa de Formação de 2021, sendo uma parceria entre a APP-Sindicato e a UFPR

Nesta sexta-feira (23), a secretaria de Formação e Cultura da APP-Sindicato realiza o segundo seminário do Programa de Formação de 2021. A atividade terá início a partir das 17h30 e abordará o tema Libertação Em Paulo Freire Frente ao Neoconservadorismo: Mulheres, Racismo e Desigualdades e será veiculada na Fanpage da APP-Sindicato no Facebook.

A palestra faz parte de uma parceria entre a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e da APP-Sindicato e é feita em três etapas, sendo essa segunda, ministrada pelas Doutoras Maria Margarida Machado da Universidade Federal de Goiás e Giselle Moura Schnorr da Universidade Estadual do Paraná (Unespar). A mediadora do debate será a secretária da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI+ e vereadora do município de Curitiba, Ana Carolina Dartora. A atividade ainda fornecerá aos inscritos uma certificação de 36 horas pela UFPR para quem cumprir com toda programação prevista. 

>> Faça a inscrição aqui << 

O secretário executivo de Formação Política-Sindical e Cultura, Professor Paulo Vieira enfatiza que a atividade é uma importante ferramenta para fomentar o debate sobre o trabalho educacional nos espaços escolares, principalmente por abordar uma perspectiva de Paulo Freire em sua construção. 

“Esse debate tem uma grande importância para a categoria, principalmente neste momento de pandemia, pois trabalharemos Paulo Freire, o patrono da educação e trabalhar também essa ideia de escola democrática neste momento que a educação vive um desmonte no Estado do Paraná. Estudar Paulo Freire é mais que necessário”, explica Paulo Vieira.

A terceira etapa do seminário será realizada em agosto e abordará o tema tema Sujeitos do Cansaço: Ensino híbrido, remota, condições de trabalho”. A atividade será ministrada pela pesquisadora Dalila Oliveira (UFMG) e o pesquisador Marcos Ferraz (Minero) (UFPR), com mediação do secretário executivo Educacional, Professor Cleiton Denez.