Nota de Repúdio sobre a Linha Editorial da RPC

Nota de Repúdio sobre a Linha Editorial da RPC

Somos educadores(as) e exigimos respeito!

Nessa quinta-feira (10), a RPC através de seu noticiário Boa Noite Paraná, veiculou matéria completamente tendenciosa e negativa para o papel dos profissionais da educação da rede estadual de ensino. A matéria criminaliza os(as) professores(as) na medida em que induz a audiência afirmando que os estudantes não estão acompanhando as aulas ao vivo por incapacidade ou ausência de professores(as) na aula.

A partir de uma única entrevista, generaliza a opinião editorial mentirosa e de danos irreparáveis à imagem pública de professores(as). Se a emissora tivesse um mínimo de senso do processo democrático teria ouvido diretores(as), professores(as) e mais famílias e estudantes. Iria constatar que muitas aulas não são ministradas pois não há professores(as) contratados(as). Que pedagogos(as) têm sido obrigados(as) a atender essas aulas cujas ausências se dão por pura responsabilidade do secretário de educação Renato Feder. Que professores(as) têm aprendido por conta própria a lidar com essas metodologias eletrônicas e são obrigados a utilizar seus equipamentos sem ressarcimento de despesas. Que o governo não fez uma única atividade preparatória para aplicação desse modelo nem para profissionais da educação e estudantes e seus familiares.

A APP-Sindicato cobra, há tempos, da emissora um espaço de opinião do contraditório dessas matérias com temas ligados à educação pública do Paraná. Novamente vimos cobrar e continuaremos denunciando essa linha tendenciosa, negacionista, incoerente e que coloca a retomada de atividades presenciais nas escolas. Ela se soma ao negacionismo escancarado do governo Ratinho Jr (PSD). Governo que igualmente não vem ouvindo a categoria tampouco estudantes e familiares.

Ressaltamos que todo esforço tem sido realizado pelos(as) educadores(as) a fim de que nenhum estudante fique no caminho deste trágico período para toda a humanidade.

 

Direção Estadual da APP-Sindicato

Curitiba, 11 de junho de 2021