Nota de repúdio - Educadores(as) exigem respeito

Nota de repúdio – Educadores(as) exigem respeito


Na última segunda-feira, 13 de novembro, professores(as) municipais de Marechal Cândido Rondon acompanhavam a sessão da câmara de vereadores do município e faziam uma manifestação pacífica contra a tramitação do Projeto de Lei Escola sem Partido – Lei da Mordaça. Um vídeo gravado durante a sessão mostra que o vereador Ronaldo Pohl (PSD), diante da manifestação pacífica, chama os(as) professores(as) de “escória”.

A APP-Sindicato, que representa os(as) professores(as) do município de Marechal Cândido Rondon, do Núcleo Sindical de Toledo, repudia a atitude do parlamentar. A falta de respeito com a figura do(a) professor(a), representada pelos(as) educadores(as) presentes na Câmara de Vereadores, é inadmissível. A violência verbal, assim como as demais formas de agressão, não pode ser tolerada e naturalizada. Assim como a livre manifestação é um direito garantido pela Constituição Federal e deve ser respeitada por todos(as), inclusive por parlamentares que têm a compreensão do direito de manifestação contrária diante de um projeto em tramitação.

O PL Escola sem Partido, que foi proposto pelo próprio vereador Ronaldo Pohl, ataca diretamente a qualidade de ensino nas escolas. Chamado de Lei da Mordaça, o Projeto fere a autonomia do(a) professor(a) em produzir análise, síntese e crítica a respeito de temas que envolvem a comunidade escolar e a sociedade como um todo. A APP-Sindicato é contra a Lei da Mordaça por compreender que uma educação de qualidade passa por uma escola que produz conhecimento crítico e respeita o trabalho dos(as) educadores(as).

Veja o vídeo do momento em que o vereador chama os(as) professores(as) de “escória”:

MENU