Não basta não ser racista, é preciso ser Antirracista!

Não basta não ser racista, é preciso ser Antirracista!

Cada um(a) faz a sua parte de conscientização, atitudes e palavras que mudam e transformam. O racismo já passou da hora de ser combatido e de inexistir!

Crédito foto: Matheus Alves / Jornalistas Livres

Seja no ambiente de trabalho, entre amigos(as) ou família, todos(as) já nos deparamos com atitudes racistas. Temos uma dívida histórica que afeta até hoje a vida da população negra brasileira. O racismo, inclusive, prejudica o desenvolvimento do país e a qualidade do viver em sociedade.

Não basta apenas não ser racista, é preciso ser antirracista em todos os ambientes e relações. Uma boa maneira para começar a praticar, de verdade, é adquirir conhecimento e admitir que o racismo está presente, inclusive em nossos atos cotidianos.

Faça a sua parte:

1) O racismo existe e é preciso se informar para combatê-lo

É obrigação das pessoas brancas procurar informações e respostas para saber mais sobre o assunto. É importante ter em mente que pessoas negras não devem ser responsáveis por ensinar ou dar as respostas sobre o debate racial ou a luta antirracista.

2) Repense atitudes e formas de falar que trazem um preconceito enraizado

Após se informar e reconhecer o racismo, é preciso questionar e analisar sua vivência, colocando em xeque aquilo que é visto como natural.

3) Colabore para transformar a educação 

A educação é fundamental nesta luta: hoje, no Brasil, a Lei 10.639 é um instrumento importantíssimo e deve ser implementada nas escolas de forma efetiva.

4) Leia e valorize autores(as) negros(as)

A diversidade de autoria não é importante “apenas” para valorizar a produção desses escritores, mas também para trazer experiências a partir de outro ponto de vista.

5) Analise criticamente a mídia e conteúdos de entretenimento que consome

O primeiro passo é fazer um exercício simples de identificar: “há pessoas negras nesse produto cultural?”. Mas é preciso ir além da representatividade e refletir sobre a forma em que os(as) negros(as) são retratados(as). 

Crédito: Getty Images

>>Veja e observe as suas atitudes:

:: Seja Antirracista (https://sejaantirracista.org/)

:: Práticas antirracistas (https://mundonegro.inf.br/praticas-antirracistas-que-podem-ser-adotadas-pela-branquitude/)

:: Década Internacional dos Afrodescendentes (https://decada-afro-onu.org/)

:: Pílulas antirracismo CUT (https://www.cut.org.br/acao/pilulas-antirracismo-secretaria-nacional-de-combate-ao-racismo-26d5)

:: Cartilha Racismo é Crime (https://www.gov.br/mdh/pt-br/centrais-de-conteudo/igualdade-racial/cartilha-racismo-e-crime-denuncie)

:: Racismo Sutil: confira algumas expressões que devem ser banidas do vocabulário (https://appsindicato.org.br/racismo-sutil-confira-algumas-expressoes-que-devem-ser-banidas-do-vocabulario/)

📲 Denuncie o racismo

Denuncie todas as formas e manifestações de racismo. Olhares, falas, violências físicas ou verbais. Racismo é crime, quebre a corrente do preconceito!

– Disque 100 para Direitos Humanos

**Mais informações no Departamento de Direitos Humanos e Cidadania da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná (41) 3221-7288

 – Disque 190 para Polícia Militar


Leia mais:

:: Enegrecer a política: entrevista com a vereadora Carol Dartora
:: Pandemia de racismo: Covid-19 agravou disparidades raciais da saúde à educação
:: A luta da população LGBTi+ negra pela sobrevivência
:: Reforma do Ensino Médio e escolas cívico-militares ameaçam educação e autoestima de estudantes negros(as)
:: Debatendo o racismo com um bocado de cultura
:: Não basta não ser racista, é preciso ser Antirracista!