Marcha contra a violência às mulheres denuncia retrocessos e aumento da fome no País

Marcha contra a violência às mulheres denuncia retrocessos e aumento da fome no País

Com concentração na Praça Santos Andrade, a partir das 12h, entidades e movimentos sociais enfatizam necessidade de luta contra governos reacionários

Foto: Divulgação

Diante do aumento da violência contra as mulheres brasileiras e o aumento da desigualdade no brasil, entidades sindicais, movimentos sociais e a sociedade civil organizada realizam a marcha “Mulheres em Luta, Semeando resistência”.

A mobilização terá concentração na Praça Santos Andrade, a partir das 12h com uma caminhada em direção a Boca Maldita às 12h30.

>> Acesse o evento e confirme sua presença!

Além da marcha, na semana de 22 a 27 de novembro, ações de solidariedade como doações de marmitas, de sangue, marcha e mutirão de plantio serão organizados para demonstrar empatia, respeito ao próximo e a conscientização sobre diferentes modelos de produção de alimentos e criação de vínculos.  

As entidades participantes enfatizam a necessidade de lutar contra o retrocesso que está imposto por governos da extrema-direita, o qual acentuou a desigualdade social, principalmente durante a pandemia, retirando direitos, destruindo o meio ambiente e favorecendo o aumento da miséria e da fome no Brasil. 

Data de luta contra a violência estatal e de gênero

O dia 25 de novembro foi instaurado em em 1999, pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em homenagem às “Mariposas” – as irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa, que foram brutalmente assassinadas pelo ditador Rafael Leônidas Trujillo, na República Dominicana por combaterem fortemente a ditadura no país em 1960.

Um dia para que toda a sociedade reflita sobre a situação de violência em que vivem, considerável parte das mulheres em todo o mundo, violência essa que foi agravada pela pandemia, ao demonstrar que um país que tem fome é um país mais violento com as mulheres.

Inspirados(as) pelo 25 de novembro, é necessário fazer com que o grito de luta seja ecoado por todo o país.

>> Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram