Maldades do governador agora atingem a Educação Especial

Maldades do governador agora atingem a Educação Especial


Vítimas da Resolução 03/2017, os(as) professores(as) que se afastaram para concluir o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), em 2016 não poderão, em 2017, assumir aulas das turmas de Educação Especial. “Esses(as) professores(as) ao sair não foram informados(as) que não poderiam voltar para suas escolas de origem e agora são pegos de surpresa. A maioria dos objetos de estudo destes profissionais é, justamente a educação especial”, reforça a secretária educacional da APP-Sindicato, professora Walkíria Olegário Mazeto.

É mais um ataque, pois esses professores(as) que se propuseram a estudar para melhorar sua atuação com os(as) estudantes com deficiência e agora estão impedidos pela Seed de retornar para as escolas em que trabalhavam. “Mesmo com as direções das escolas expressando seu interesse em que os professores se mantenham nas escolas, o Governo, com sua Resolução da Maldade, está impedindo o retorno”, denuncia a Walkíria.

A APP orienta que os(as) professores(as) afetados(as) com o impedimento devem protocolar  no seu Núcleo Regional de Educação o requerimento de suas aulas nas escolas onde já prestavam serviço, conforme o modelo disponível abaixo:
MENU