Governo exclui 10,2 mil professores(as) aposentados(as) sem paridade do reajuste do Piso APP-Sindicato

Governo exclui 10,2 mil professores(as) aposentados(as) sem paridade do reajuste do Piso

APP defende emenda para corrigir injustiça e convoca categoria para votação na Alep

>> Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram

Enviado à Alep na última segunda-feira (26) pelo governador Ratinho Jr, o Projeto de Lei 532/2003 trouxe um ataque inédito a mais de dez mil aposentados(as) que dedicaram a vida à educação.

Se o texto for aprovado sem alterações, 10.271 professores(as) sem paridade receberão apenas 5,79% de reajuste, e não os 13,25% que serão implantados para os(as) QPM na ativa e aposentados(as) com paridade.

“Isso nunca aconteceu antes e precisamos de todos os esforços possíveis para corrigir essa injustiça e garantir que jamais aconteça”, afirma a secretária de Aposentados(as) da APP, Maria Adelaide Mazza Correia. “Convocamos todos e todas para acompanhar a votação na segunda e na terça-feira”, completa a secretária.

Ao longo da semana, dirigentes do Sindicato percorreram os corredores e gabinetes da Assembleia Legislativa para dialogar com deputados(as), que terão a chance de assegurar um reajuste digno aos(às) aposentados(as) sem paridade apresentando emendas no Plenário.

Custo irrisório

Para o governo, o custo de assegurar o reajuste de 13,25% para todos(as) é irrisório, mas são recursos que farão a diferença para os(as) aposentados(as), que já recebem um benefício médio (R$ 2.968) muito inferior ao daqueles(as) que têm paridade (R$ 5.406,22).

A assessoria econômica da APP estima que pagar a diferença entre os 5,79% e os 13,25% para este segmento custaria apenas R$ 223 por aposentado(a) ao mês, totalizando um investimento de R$ 30 milhões ao ano, cifra que sequer arranha os recursos disponíveis no Estado e está muito aquém dos gastos previstos na reestruturação de outras carreiras em tramitação na Alep.

Quem tem paridade?

Com algumas exceções, educadores(as) que ingressaram no magistério público antes de 31/12/2003 possuem paridade. Mas a forma mais fácil de se certificar é observando o contracheque.

Aposentados(as) com paridade recebem outras vantagens e gratificações listadas no holerite. Já aqueles(as) que não têm paridade recebem apenas o valor do benefício, sem outras vantagens.

A votação no Plenário da Alep ocorre na próxima semana, com apresentação de emendas na segunda-feira (3) e análise e aprovação na terça (4). 

 

 

 

MENU