Fórum luta contra a privatização da Petrobras

O Fórum de Defesa da Petrobras foi instituído no dia 13 de junho e luta contra os ataques que o governo federal têm feito contra a estatal

Reprodução

Sendo uma das maiores empresas estatais brasileiras, a Petrobras está sofrendo com um processo de desmonte, em uma tentativa entreguista de acabar com o órgão de alta rentabilidade para o país. A estatal é conhecida mundialmente por seu trabalho de perfuração, extração e refinaria, os quais renderam vários prêmios para a instituição.

A maior ofensiva contra a Petrobras, foi o anúncio feito no final de abril de que o governo colocou à venda oito das treze refinarias da estatal. Se for concretizada, o país colocará nas mãos do mercado internacional mais da metade de sua capacidade de produção de combustíveis.

Para lutar contra o desmonte, foi instituído no dia 13 de junho deste ano, o Fórum de Defesa da Petrobras. Coordenado pelo Sindicato dos Petroleiros do Paraná (Sindipetro), o Fórum se propõe a formar uma grande aliança na defesa da Petrobras, além de lutar pelo desenvolvimento econômico e social da nação. Sua fundação se dá como frente de resistência à privatização, pois a Companhia vem passando por um processo de desmonte nos últimos anos.

Atualmente mais de 250 entidades participam do Fórum, que busca reunir todas as entidades paranaenses do campo progressista em prol da defesa da Petrobras, assegurando o desenvolvimento da instituição.

Segundo a secretária Geral do Sindipetro, Anacélie Azevedo, o governo tenta transformar a Petrobras em um prédio, mas sem toda a rentabilidade social que a empresa tem. “Nós estamos vivendo uma das maiores afrontas contra o país, que é a entrega da Petrobras para o capital estrangeiro. A Petrobras tem um papel fundamental na geração de renda do país e auxilia no desenvolvimento social com seus repasses para programas governamentais”.

A secretaria destaca ainda que todos os movimentos sociais e sindicatos devem participar da luta pela instituição, pois é um patrimônio do povo. “O Fórum tem esse propósito, de fazer com que todos os movimentos sociais participem da luta. Temos que mostrar que a Petrobras é importantíssima para manter o desenvolvimento e soberania do país. Queremos que todos participem conosco desta batalha”, enfatiza Anacélie Azevedo.

Anacélie conta ainda que a Petrobras é crucial para o desenvolvimento da educação pública no país, já que conforme a Lei 5.500/2013, o estado deve repassar 75% dos royalties do petróleo para a educação. Os outros 25% devem ser investidos na saúde pública. “Com a venda do Pré-Sal, nossos serviços públicos perdem grandes investimentos. É a educação de nossas crianças e jovens que está sendo ameaçada também e isso afeta toda a sociedade”.

Para saber mais e acompanhar o trabalho do Fórum, a APP-Sindicato preparou um material especial sobre o tema. No dia 15 de agosto, a APP-TV promove um bate papo com dirigentes do Sindipetro.