Fora Unicesumar! Reunião convocada pelo NRE deixa estudantes ainda mais indignados(as)

Fora Unicesumar! Reunião convocada pelo NRE deixa estudantes ainda mais indignados(as)

Alunos do CEEP Pedro Boaretto Neto decidem manter mobilização contra aulas remotas da Unicesumar

O caldo ferveu no CEEP Pedro Boaretto Neto (CEEP) na noite de quinta-feira (17), quando uma reunião convocada para tratar das aulas à distância nos cursos técnicos deixou pais, mães e estudantes ainda mais indignados.

Os(a) estudantes de Administração e Desenvolvimento de Sistemas do CEEP, que fica em Cascavel, se recusam a assistir as aulas à distância da Unicesumar implantadas no Novo Ensino Médio. Eles(as) querem de volta as aulas com professores(as) da rede em sala de aula.

O Governo Ratinho Jr decidiu arbitrariamente substituir os professores de disciplinas técnicas por aulas remotas ministradas pela empresa privada, num contrato de R$ 38,4 milhões.

Ensino de faz de conta

Com a mudança, os estudantes deveriam assistir aulas pela TV, ministradas por um professor à distância para dezenas de turmas por vez. Só que os alunos do CEEP Cascavel se recusam a participar da farsa e decidiram deixar a sala durante as aulas remotas.

A mobilização tem o apoio de pais e mães, preocupados(as) com a formação dos estudantes. É o caso de Célia Ianoski, mãe de Clara Gabrieli Ianoski Mota, aluna do curso técnico de Administração. “Eu apoio esse movimento. Nossos filhos precisam de ensino de qualidade, não de faz de conta”, justifica.

Célia relata que foi tensa a reunião de quinta-feira, com representantes do Núcleo Regional de Educação e da Unicesumar. “Teve bastante dificuldade de entendimento, pois quiseram passar uma situação que deve estar acontecendo em outro país, pois a nossa realidade não é”, conta.

“Reafirmamos a decisão de os alunos ficarem fora da sala de aula nas aulas técnicas de Administração e Desenvolvimento de Sistemas. Vamos lutar até o fim”, diz Célia.

Reação à censura

O NRE tentou vetar a participação dos estudantes da reunião. Em resposta, eles(as) entraram no auditório do encontro com máscaras com um X, denunciando o autoritarismo do Governo Ratinho Jr e da Seed. “Fizemos isso para mostrar que, para eles, nós não temos poder de fala”, explica Clara.

O autoritarismo da Seed se revelou também no confisco dos cartazes que os estudantes fizeram para expressar suas posições. “Os(as) alunos(as) arrecadaram dinheiro em sala de aula para fazer cartazes, que foram tomados e no final os alunos tiveram que fazer pressão para ser devolvido o que foi comprado com o dinheiro deles”, conta Célia.

A APP apoia a mobilização dos estudantes de Cascavel e denuncia a terceirização na rede estadual, que contraria os princípios de uma escola pública de qualidade e com autonomia pedagógica e administrativa. 

“Com certeza o movimento vai continuar até a gente ter uma resposta positiva, pois nossos filhos merecem uma formação de qualidade”, afirma Célia.

“O CEEP é um colégio exemplar e tem professores qualificados para esses cursos, que não estão podendo dar aulas, tem laboratórios completos. Então não tem justificativa para terem tirado esses professores”, observa Célia.

Com a manutenção dos protestos, a situação era tensa no CEEP na tarde de sexta-feira (18), com os estudantes sendo pressionados a permanecer em sala durante as aulas remotas, sob ameaça de chamarem o conselho tutelar se não obedecessem.


:: Leia mais:

:: Fora Unicesumar: estudantes se rebelam contra a terceirização de cursos técnicos e boicotam EAD
:: Trapalhadas da Unicesumar e governo Ratinho deixam estudantes sem aulas
:: Ministério Público Estadual vai investigar a contratação da Unicesumar pelo governo Ratinho Jr

MENU