FES realiza primeira reunião com governo e deputados(as) após a suspensão da greve

Representantes dos(as) servidores(as) cobraram do governo o atendimento das pautas

Foto: João Paulo Vieira/APP-Sindicato

A coordenação do Fórum das Entidades Sindicais (FES) se reuniu com representantes do governo e deputados(as) na manhã desta terça-feira (6). Em pauta a continuidade das negociações sobre as reivindicações dos(as) servidores(as) públicos(as), após a suspensão da greve.

Para o integrante da coordenação do FES, Donizetti Silva, a reunião foi bastante positiva. Ele destaca que todos(as) os(as) deputados(as) presentes apoiaram integralmente as pautas dos(as) servidores(as).

Representando o governador, o secretário chefe da Casa Civil, Guto Silva, reafirmou que o governo vai cumprir todas as propostas apresentadas em ofício divulgado no último dia 12 de julho.

Sobre o pagamento da data-base de 2019, informou que o governo enviará o projeto de lei para a Assembleia Legislativa nos próximos dias. A retirada do Projeto de Lei Complementar PLC 04/19 será oficializada ainda esta semana.

O FES cobrou que a implantação dos reajustes do vale-transporte, do auxílio alimentação e da complementação do salário mínimo regional sejam feitas na folha de agosto. Também reivindicou que as faltas das greves nacionais dos dias 15 de maio e 14 de junho sejam retiradas da ficha funcional e seja autorizada a reposição.

Em relação a esses dois pontos, o chefe da Casa Civil informou que vai apresentar a demanda ao governador nesta quarta-feira (7). Posteriormente divulgará ao FES a resposta de Ratinho Junior.

Sobre as faltas ilegais lançadas na ficha de avaliação de professores(as) e funcionários(as), por exemplo, os dirigentes sindicais disseram que elas devem ser retiradas imediatamente para não prejudicar as avaliações destes(as) educadores. Esta demanda também será levada ao governador pelo chefe da Casa Civil.

Já sobre os compromissos anunciados pelo governo em resposta às solicitações de melhorias na perícia médica e no atendimento à saúde do(a) servidor(a), as questões serão encaminhadas em outra comissão que vai contar com a participação da Secretaria de Administração e Previdência.

Durante a reunião, a APP-Sindicato reafirmou posicionamento contrário a ideia do secretário da Educação de alterar o Processo Seletivo Simplificado(PSS) para contratação de professores(as) e defendeu a prorrogação dos contratos dos(as) professores(as) e funcionários(as) PSS. Os(as) deputados(as) presentes também concordam com os argumentos dos dirigentes da APP-Sindicato.

O presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão, também questionou o governo sobre a publicação de um edital PSS no site da Coordenadoria de Processos Seletivos (COPS) da UEL.

A publicação desrespeita o compromisso do governo de debater o tema em uma comissão específica. A situação foi registrada no último domingo e retirada do ar logo em seguida.

O Sindicato também fez contatos com a Universidade para tentar descobrir quem os responsáveis pela iniciativa. Em resposta, o governo informou que vai apurar a ocorrência.

A reunião contou com a presença dos(as) deputados(as) estaduais Professor Lemos, Hussein Bakri, Luciana Rafagnin, Tercílio Turini, Arilson Chiorato e Tiago Amaral. Pela APP-Sindicato participaram o presidente Hermes Leão e a secretária Geral Vanda Santana. Também participaram da reunião, representantes das demais categorias dos(as) Servidores(as) e do fórum de segurança pública