FES aprova paralisação das categorias no 29 de abril

"Fazer valer, Fazer cumprir"! Categorias farão um dia de greve pelo pagamento da data-base e contra a retirada de direitos

Foto: APP-Sindicato

Representantes do Fórum das Entidades Sindicais (FES) se reuniram hoje (04) na sede da APP-Sindicato para avaliar o primeiro trimestre do governo Ratinho Jr. (PSD) e as últimas reuniões com o governo. O grupo reafirma que a data-base é prioridade para as categorias, que amargam três anos de salários congelados, além de uma pauta comum aos(às) servidores(as) que não vem sendo atendida. Por isso, o FES se juntará à mobilização da APP: dia 29 é dia de paralisação dos(as) servidores(as) públicos(as) do Estado.

Chega de retirada de direitos – No dia 14 de abril o FES levará ao líder do governo, o deputado Hussein Bakri (PSD), um ofício reforçando que as categorias não aceitarão nenhuma proposta de retirada de direitos. “Nós não vamos aceitar a retirada de nenhum dos direitos de carreira. É inadmissível que propostas de fim de licenças e do quinquênio estejam circulando nos corredores deste governo. Nós já derrubamos um Pacotaço e estamos prontos para, novamente, sair em defesa do que nos é de direito por lei”, antecipa da coordenadora do Fórum, professora Marlei Fernandes de Carvalho ao relembrar a proposta de Beto Richa  (PSDB) que em 2015 tentou acabar com a carreira dos(as) servidores(as)

:: Relembre: Em 2015, servidores vencem Pacotaço de Richa

Como forma de organizar a paralisação e explicar à sociedade os motivos que levaram os(as) servidores(as) a uma greve unificada, o FES  convida para Audiência Pública sobre a data-base, marcada para o dia 23 de abril às 17h no Plenarinho da Alep.