Estudantes protestam contra fechamento de curso técnico em Francisco Beltrão e contestam Seed APP-Sindicato

Estudantes protestam contra fechamento de curso técnico em Francisco Beltrão e contestam Seed

O Curso Técnico Subsequente em Segurança do Trabalho era ofertado no Colégio Estadual Reinaldo Sass desde 2009, mas a Seed não abriu inscrições neste ano

>> Receba notícias da APP no Whatsapp ou Telegram

Nesta quinta-feira (8), estudantes do Colégio Estadual Reinaldo Sass, de Francisco Beltrão, foram às ruas para reivindicar a continuidade do curso técnico subsequente em Segurança do Trabalho, encerrado pela Secretaria da Educação (Seed) apesar da alta demanda por abertura de turmas.

A Seed justificou a medida pela suposta baixa procura, mas a comunidade escolar contesta. Alunos(as), organizados(as) junto à União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES), elaboraram uma lista com 42 jovens da região interessados(as) em se matricular no curso.

A comunidade escolar também criou um abaixo-assinado em defesa da abertura da turma em 2024. A iniciativa já reúne 217 assinaturas. O colégio oferece o único curso gratuito na modalidade subsequente da região, destinado a jovens que já cursaram o ensino médio e estão em busca de maior qualificação, e de curta duração (18 meses).

>> Clique aqui para apoiar o abaixo-assinado para abertura de nova turma em 2024

Empunhando cartazes com dizeres como “Eu quero estudar!”, os(as) estudantes se concentraram em frente ao Núcleo Regional de Educação (NRE) de Francisco Beltrão.

De acordo com Guilherme Picolotto, diretor executivo de comunicação da UPES e aluno do curso de formação de docentes do Colégio Estadual Mário de Andrade, o fim da oferta de ensino profissionalizante integra a política da Seed de fechamento do noturno em todo o estado. 

“Grande parte dos(as) estudantes que optam pelo ensino regular ou técnico no período noturno fazem essa escolha porque precisam trabalhar o dia todo. A maior parte deles(as) não vem de uma boa situação econômica, então precisa ajudar na renda familiar. Por isso, essas são as únicas oportunidades de acesso ao conhecimento e de aperfeiçoamento profissional”, afirma Guilherme.

Fechamento de outras escolas pelo estado

A APP tem apurado e noticiado casos de encerramento de turnos e fechamento de escolas em todo o estado. O Ministério Público identificou que a política gera evasão escolar; quando o(a) aluno(a) não efetua a matrícula para a continuidade dos estudos no ano seguinte.

No fim do ano, o governo ameaçou encerrar 8 mil vagas de ensino noturno apenas considerando as escolas que passaram por consulta para adesão ao modelo cívico-militar. Nestes colégios, a modalidade deixa de ser ofertada.

O MP-PR também interviu no fechamento de turmas do período noturno que provocaram evasão escolar em um município da região metropolitana de Curitiba. Em agosto de 2023, a 3ª Promotoria de Justiça de Campo Largo, expediu uma recomendação administrativa para que as turmas sejam reabertas no Colégio Estadual Macedo Soares, de Campo Largo, a partir do ano letivo de 2024.

No documento assinado pelo promotor de Justiça Rodrigo Baptista Braziliano, a decisão da Seed é classificada como indevida, retrocesso social e violação ao princípio da gestão democrática. Segundo a Promotoria, o Conselho Escolar não concordou com o fechamento das turmas e uma pesquisa realizada com os(as) estudantes apontou que 95,6% responderam que o Colégio Macedo oferece vantagens para o seu deslocamento.

MENU