Escolha a Educação: conheça os(as) candidatos(as) que votam contra ou a favor da educação e os(as) educadores(as)

Escolha a Educação: conheça os(as) candidatos(as) que votam contra ou a favor da educação e os(as) educadores(as)

Portal ranqueia as candidaturas de acordo com o posicionamento médio dos(as) parlamentares em uma série de projetos que movimentaram a luta

Como votaram os(as) deputados(as) e senadores(as) do Paraná que disputam as eleições 2022 em pautas que afetam a vida dos(as) educadores(as) e a qualidade da escola pública? A favor ou contra a educação?

Para responder estas perguntas, a APP-Sindicato desenvolveu a plataforma Escolha a Educação, que ranqueia as candidaturas de acordo com o posicionamento médio dos(as) parlamentares em uma série de projetos que movimentaram a luta da categoria nos últimos quatro anos.

Reforma da Previdência, taxação dos(as) aposentados(as), mudanças nas carreiras, congelamento de salários, fim da licença-especial e terceirização dos(as) funcionários(as) estão entre os projetos analisados.

>> Acesse o portal Escolha a Educação

Metodologia

Os(as) candidatos(as) foram agrupados, no site, de acordo com o cargo que pleiteiam nas eleições 2022, mas sua pontuação foi calculada com base no cargo ocupado nos últimos quatro anos. Já candidatos(as) que não ocupam uma cadeira no Legislativo estadual ou federal têm a opção de assinar a Carta-Compromisso com a Educação para figurar no portal.

>> Assine a Carta-Compromisso com a Educação

Deputados(as) e senadores(as) que votaram em defesa da educação e dos direitos dos(as) trabalhadores(as) em 60% ou mais dos projetos são identificados como “A favor da educação”. No campo “sem posição definida”, cabem aqueles(as) que pontuaram em 50% dos projetos. Já os(as) agrupados(as) em “Contra a Educação” são aqueles(as) que votaram a favor da educação em menos de 50% dos projetos.

Candidatos(as) que não votaram em determinados projetos – independente da razão – foram ranqueados de acordo com a pontuação média dos seus partidos, que refletem o posicionamento político-ideológico dos parlamentares.

A opção metodológica se faz necessária devido à imensa quantidade de variáveis na atuação parlamentar. Reconhecemos, por exemplo, que há deputados(as) da base do governo estadual que se esforçaram para abrir diálogo e mediar projetos, apesar dos votos contrários. Em sua versão atual, a plataforma não se propõe a captar estas nuances.

>> Confira o detalhamento da metodologia e dos votos de cada candidato(a) aqui

MENU