Em ofício, Sindicato reforça carater ilegal de obrigatoriedade de escalas no meet

Em ofício, Sindicato reforça carater ilegal de obrigatoriedade de escalas no meet

A direção estadual aponta que a medida de Feder, contraria o Estatuto do Servidor(a) e a Constituição brasileira

A direção estadual da APP-Sindicato, enviou nesta quarta-feira (30), o Ofício Nº117/2020, onde questiona a legalidade e da obrigatoriedade da aplicação de aulas remotas pelo aplicativo Google Meet. No documento, o SIndicato reforça o caráter autoritário da medida e denuncia a tentativa da Secretaria de Estado da Educação do Paraná (Seed) em culpabilizar os(as) Educadores(as) por conta da alta taxa de evasão escolar no modelo de Ensino a Distância (EAD).

No documento, a APP-Sindicato pontua que a ferramenta transforma as aulas em uma reunião com exposição de Professores(as) e estudantes, que pode caracterizar uso indevido de imagem e propriedade intelectual dos(as) profissionais. O Sindicato aponta ainda que o método contraria o Estatuto dos(as) Servidores(as) Públicos do Paraná (Lei 6174/1970) e a constituição federal. 

Segundo o presidente da APP-Sindicato, Professor Hermes Leão, Renato Feder contrariou sua palavra, já que na live realizada no mês passado, onde disse que a metodologia seria opcional. “Lamentamos que o secretário tenha descumprido a palavra que deu para a categoria, ao vivo, em uma live que teve manifestação de descontentamento de mais de 20 mil participantes, onde afirmou que não teria a obrigatoriedade. Por isso, a APP-Sindicato está orientando aos(às) professores(as) o requerimento pela não imposição, pois o entendimento de que ninguém está de fato obrigado, como o secretário havia se comprometido”.

O Sindicato enfatiza ainda que a Seed não pode culpar os(as) Professores(as) pela falha do modelo aplicado e que a alta taxa de evasão escolar é um reflexo do modelo que não contempla a realidade dos estudantes e da educação pública. “A forma como a Seed impõe seus procedimentos só tem gerado mais descontentamento de uma categoria e de um grupo de estudantes, que já vêm sendo penalizados por essa prática. A preocupação da Seed com a saúde mental de professores(as) e o aprendizado dos(as) estudantes não aparecem nestas propostas”, conclui Hermes Leão.

A orientação para os(as) Professores(as) é para que se mantenham vigilantes e mobilizados(as) em suas comunidades e redes sociais, repudiando o assédio e qualquer prática autoritária e anti-pedagógica. A APP-Sindicato reforça ainda que continuará denunciando a Seed e tomará medidas cabíveis para derrubar a obrigatoriedade das aulas virtuais no Google Meet. 


of117protocolado

Leia mais:

:: Resolução obriga professores(as) a realizarem aulas on-line em tempo real
:: APP-Sindicato publica orientação contra imposição de escalas no google meet