Em nova resolução, Seed obriga retorno presencial e desrespeita pais e alunos

Em nova resolução, Seed obriga retorno presencial e desrespeita pais e alunos

É importante que pais, mães e responsáveis denunciem a obrigatoriedade e cobrem providências junto ao Ministério Público estadual (MP-PR) de sua região

A Seed colocou no papel o que já ensaiava às escondidas: obrigará pais a mandarem seus filhos às escolas. 

Na tarde desta quinta-feira (23), a secretaria publicou a resolução 860/2021, oficializando o retorno presencial para todas as escolas do Paraná. 

Na prática, a Seed pretende restringir o acesso às aulas virtuais apenas para estudantes que possuem comorbidades comprovadas, forçando os(as) demais à sala de aula.

A proposta de Ratinho Jr. tem repercutido negativamente, já que muitos pais não se sentem seguros com o modelo presencial neste momento de pandemia. 

É importante recordar que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontou que as escolas não têm condições necessárias para o retorno. 

A APP-Sindicato reafirma que é importante que pais, mães e responsáveis denunciem a proposta de retorno presencial junto ao Ministério Público estadual (MP-PR) de sua região para garantir a extensão das aulas virtuais.

Governo de contradições

Ratinho Jr joga seu próprio discurso – de “direito de escolha” – no lixo, desrespeitando a vida e bagunçando a organização das famílias.

Vale lembrar que este é o mesmo governo cuja base aprovou o Ensino Domiciliar na Assembleia Legislativa.

Uma contradição que só pode ser explicada à luz do ódio à escola pública. Enquanto a população de baixa renda é obrigada a mandar filhos não vacinados para salas lotadas e mal ventiladas, famílias com recursos poderão lecionar em casa.

Em nome do Ideb, o governo promove um experimento macabro, mirando em melhores resultados a qualquer custo. Que não seja em vidas.

>> Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram