Em nota, APP-Sindicato condena pressão por resultados a partir do Atividade Paraná

Em nota, APP-Sindicato condena pressão por resultados a partir do Atividade Paraná

A APP-Sindicato enfatiza que é necessário que o governo suspenda as atividades presenciais, retomando as atividades remotas e garantindo a vida de estudantes e profissionais da educação

Insensíveis ao cenário grave da pandemia no Paraná, o governador Ratinho Jr e o secretário da Educação, Renato Feder, convocaram as escolas para realizar na próxima quarta-feira (9), o “Atividade Paraná”. Em nota sobre a ação, a direção estadual da APP-Sindicato aponta que esta é mais uma tentativa do governo em maquiar os resultados educacionais.

De acordo com o governo, o “Avaliação Paraná” é uma prova diagnóstica que substituirá a Prova Paraná Temporariamente, sendo aplicado a todos(as) estudantes do Ensino Fundamental II e Médio. Embora a Secretaria de Estado de Educação (Seed) tenha divulgado que a prova será realizada de forma on-line, a pressão por resultados tem gerado alvoroço nas escolas, a ponto de unidades agendarem a realização da prova no formato presencial.

“Diante disso, a pressão da Secretaria da Educação tem promovido um vale-tudo nas escolas para fazer a Atividade Paraná acontecer de forma satisfatória diante dos números. Alguns exemplos são a oferta de lanches diferenciados, sorteio de brindes, passeios e pasmem: agenda de realização da prova no formato presencial nas escolas”, destaca a APP-Sindicato em nota.

O Sindicato reafirma que este não é o momento para aplicação de provas diagnósticas, mas sim garantir a saúde dos(as) estudantes e profissionais na educação com um modelo remoto e seguro para todos(as). 


Confira a nota na íntegra:

NOTA  SOBRE A ATIVIDADE PARANÁ 

Vivemos um período difícil da pandemia. As regiões estão com as UTIs lotadas. São 1,2 mil pessoas aguardando um leito Covid-19 no Paraná. Um cenário que mexe com a vida de todo mundo. As escolas vivem o luto da morte de pais/mães e responsáveis pelos(as) estudantes, quando não dos(as) próprios(as) estudantes,  de funcionários(as) e professores(as). 

Insensível a este cenário,  a Seed convocou as escolas para no dia 9 de junho realizarem a “Atividade Paraná”. Trata-se de uma atividade diagnóstica que, segundo a secretaria, substituirá temporariamente a Prova Paraná e será aplicada a todos(as) estudantes  do Ensino Fundamental II e Médio. Aos moldes da Prova Paraná, tem como objetivo a mensuração dos(as) estudantes e preparação para as avaliações de larga escala e maquiagem dos resultados educacionais do Paraná com vistas ao aumento do IDEB. 

Sobre o IDEB já conhecemos: ranqueamento entre as escolas, premiação e/ou responsabilização das(os) professoras(es) pelo eventual fracasso, atuando numa lógica de mercantilização da educação pública. 

Diante disso, a pressão da Secretaria da Educação tem promovido um vale-tudo nas escolas para fazer a Atividade Paraná acontecer de forma satisfatória diante dos números. Alguns exemplos são a oferta de lanches diferenciados, sorteio de brindes, passeios e pasmem: agenda de realização da prova no formato presencial nas escolas! 

Buscar alternativas fora do ensino remoto online (classroom) ou impressa (para alunos sem acesso a aparelhos eletrônicos) é expor estudantes e professoras(es) ao risco da contaminação. 

Não é momento de aplicação de provas diagnósticas de larga escala. É momento de acolher a vida. De humanização e não de “produção de resultados”. Um pouco mais de sensibilidade não faria mal a Seed. Chega de contarmos nossos mortos! 

Direção da APP-Sindicato


Leia mais: 

:: APP reforça e orienta: importância das denúncias em casos de contaminação nas escolas
:: Decisão sobre suspensão das aulas presenciais cabe à comunidade, por meio do Conselho Escolar, orienta APP-Sindicato
:: “Professor Claudião é síntese da nossa luta pela vida”, lamenta o presidente da APP-Sindicato
:: APP-Sindicato cobra ação da Alep contra ações da Seed