Em mobilização, educadores(as) lamentam as mais de 30 mil mortes de paranaenses por covid-19

Em mobilização, educadores(as) lamentam as mais de 30 mil mortes de paranaenses por covid-19


Foto: APP-Sindicato

Educadores(as) e representantes da APP-Sindicato realizaram nesta terça-feira (29), uma mobilização para denunciar a necropolítica do governador Ratinho Jr, principalmente na área da educação. Nesta semana, o Paraná atingiu a marca de 30.280 mortes pela Covid-19, as quais poderiam ter sido evitadas com uma política de isolamento efetiva e a vacinação em massa da população.

Além da direção estadual da APP-Sindicato, representantes dos Núcleos Sindicais Curitiba Sul, Metropolitana Norte e Metropolitana Sul participaram do ato denunciando o retorno das aulas presenciais, o não reajuste na Data-Base e os cortes de Ratinho à direitos de servidores(as) garantidos pela constituição estadual. 

“Uma vida perdida não se recupera nunca mais, por isso que estamos afirmando nossa luta contra todo o negacionismo neste momento. A nossa mobilização em frente ao Palácio Iguaçu é para denunciar o governo Ratinho Jr, que não dialoga com os(as) servidores(as), não dialoga com as representações da educação pública e não dialoga com estudantes e familiares, utilizando da pandemia para fazer uma gestão autoritária e de ataques aos direitos de forma covarde”, afirma o presidente da APP-Sindicato, Professor Hermes Leão.

Os(as) educadores(as) presentes ainda realizaram uma marcha fúnebre simbólica para lamentar pelas vidas dos(as) profissionais da educação e de brasileiros que perderam sua vida para a Covid-19. “Nossa denúncia é sobre o governo Ratinho Jr, que foi ao encontro do vírus e da morte da nossa categoria e também dos(as) nossos(as) estudantes e familiares. Registramos ainda a nossa solidariedade a familiares, amigos(as) e colegas de trabalho dos(as) que faleceram nesta pandemia”, enfatiza Hermes Leão.

A APP-Sindicato reafirma que continuará em Greve Pela Vida e se mobilizando contra a volta das aulas presenciais até que haja condições para um retorno seguro. Uma nova assembleia estadual está agendada para o dia 7 de agosto, onde a categoria deve debater as próximas ações frente aos ataques de Ratinho Jr. 

Isso vai fechar em 5 segundos

MENU