Por autonomia pedagógica e contra a pressão e o assédio, educadores(as) entregam carta à Seed

Por autonomia pedagógica e contra a pressão e o assédio, educadores(as) entregam carta à Seed

Documento foi construído no Seminário Pedagógico que debateu a plataformização do ensino no Paraná na manhã de sexta-feira (13)

Dirigentes da APP e uma comitiva de educadores(as) de todo o estado entregaram presencialmente, na tarde de sexta-feira (13), uma carta com reivindicações à Secretaria de Estado da Educação. O documento foi construído no Seminário Pedagógico que, pela manhã, debateu a plataformização do ensino no Paraná.

O seminário concluiu que o esvaziamento do sentido pedagógico da escola, que transforma professores(as), pedagogos(as) e estudantes em  autômatos para alcançar metas arbitrárias ditadas  de cima para baixo. “O retrocesso educacional no Paraná é gigante e só não é maior que o sistema burocratizado e robótico que se criou para se manter este mesmo sistema”, diz a carta.

Antes de entregar a carta, os representantes da APP tiveram uma audiência com dirigentes da Seed, quando apresentaram suas preocupações com o aprendizado dos(as) estudantes, o uso das plataformas e a falta de estrutura e de condições de trabalho nas escolas, além da ausência de diálogo com os Núcleos Regionais de Educação. 

“Essa foi uma agenda muito importante, pois após muitos meses a Seed abre espaço para ouvir o que a categoria está sentindo de realidade nas escolas. As plataformas devem ser uma ferramenta pedagógica, para ajudar o professor(as), não engessar a educação”, explica a secretária Educacional da APP-Sindicato, Nádia Brixner.

As reivindicações apresentadas incluem o fim das práticas assediadoras e punitivas da Seed; infraestrutura e formação adequadas; suspensão das atividades de planilhamento educacional, assim como o controle sobre as(os) professoras(es) como observação de sala de aula e controle da hora atividade e o resgate da autonomia do trabalho docente e da equipe pedagógica. 

A carta defende também que a ampliação da hora atividade para os(as) professores(as) e a implantação de um dia da jornada semanal das(os) professoras(es) pedagogas(os) para a reorganização do Trabalho Pedagógico (OTP).

Outras exigências são a revisão do porte escolar, com atribuição de um(a) pedagoga(o) a cada três turmas devido à sobrecarga de trabalho, e de um(a) pedagoga(o) para Sala de Recursos e para cada projeto institucional da Seed.

“A tarefa da APP é continuar cobrando para que o que apontamos aqui e a carta entregue elaborada na plenária tenha resposta, pois na carta não só avaliamos o processo educacional, como também estamos colocando propostas para auxiliar nesse desenvolvimento”, finaliza Nádia Brixner. 

Leia a seguir a íntegra do documento

https://appsindicato.org.br/wp-content/uploads/2022/05/Carta-Seminario-Pedagogico-13deMaio.pdf

MENU