Educação pública estadual participa de greve geral nesta sexta-feira

Atos ocorrerão por todo estado e trabalhadores(as) da educação exigem também a reposição da data-base

Foto - APP-Sindicato

Nesta sexta-feira (14), trabalhadores(as) e estudantes de todo país paralisam as atividades contra o desmonte da previdência, os ataques à educação pública e a falta de empregos. Atos serão realizados por todo país e a APP-Sindicato estará presente em defesa de direitos já garantidos.

A greve é uma iniciativa da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e demais centrais sindicais (CTB, Força Sindical, CGTB, CSB, UGT, Nova Central, CSP-Conlutas e Intersindical). Além de trabalhadores(as) da educação e estudantes, a greve geral já recebeu a adesão de metalúrgicos(as), químicos(as), portuários(as), trabalhadores(as) rurais, agricultores(as) familiares, metroviários(as), motoristas, cobradores(as), caminhoneiros(as), trabalhadores(as) da Educação, da saúde, de água e esgoto, dos Correios, da Justiça Federal, eletricitários, urbanitários, petroleiro, enfermeiros(as), vigilantes, servidores(as) públicos federais, estaduais e municipais, entre outras categorias.

Segundo o presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão, a participação dos(as) trabalhadores(as) da educação é muito importante na greve geral. “Nós faremos a luta contra os ataques do governo federal. Vamos defender nossa previdência e também a educação pública, que vem sendo atacada. Lutaremos também contra o aumento do desemprego, na defesa de um país que possa se desenvolver e oferecer condições de trabalho para o povo brasileiro”.

Calote da data-base

No Paraná, as mobilizações também terão como alvo a falta de resposta de Ratinho Júnior sobre o pagamento da data-base. Sem reposição desde 2016, a dívida do governo do estado com professores(as), enfermeiros(as), funcionários(as) das escolas, policiais civis e militares, agentes penitenciários, médicos(as), escrivães, peritos(as) e outros servidores passa de 17%.

Em resposta, a APP-Sindicato participará do ato público em frente ao Palácio do Iguaçu com o conjunto de sindicatos que fazem parte do Fórum das Entidades Sindicais (FES), servidores(as) e alunos(as) da rede pública de ensino. “Ratinho Junior demora para responder os itens da pauta e nós, juntos com o conjunto dos servidores(as) públicos, cujo a ampla maioria já está em estado de greve, vamos fazer um ato importante onde iremos cobrar o nosso reajuste salarial e outros pontos comuns dos(as) servidores(as)”, enfatiza Leão.

Mobilizações no Paraná

Os Núcleos Regionais da APP-Sindicato também participarão de atos em todo o estado. Em Cianorte a mobilização ocorrerá na Praça Moraes de Barros a partir das 15h. Na cidade de Maringá, o ato será realizado na Praça Raposo Tavares, às 15h. Em Foz do Iguaçu uma passeata sairá do Bosque Guarani às 10h.

Na cidade de União da Vitória, o ato será realizado na Praça Alvir Riesemberg e a concentração começa a partir das 15h. Já o Núcleo Regional de Campo Mourão participará do ato na Praça São José, onde os(as) trabalhadores(as) participarão de um aulão e uma passeata, a concentração começa às 14h. Em Guarapuava, o ato unificado com sindicatos e movimento estudantil será realizado na Praça 9 de dezembro, com início às 9h.

Confira as categorias que irão paralisar no Paraná:

– APMP: Associação dos Professores Municipais de Piraquara

– SMC: Metalúrgicos da Grande Curitiba.

– SISMAC: Docência e pedagogas/os das escolas municipais de Curitiba.

– SISMUC: CMEIS, funcionárias/os das escolas municipais, quadro geral das servidoras/es municipais de Curitiba.

– SINDIPETRO: Petroleiras/os

– SINTCOM: Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná

– SINJUTRA: Servidoras/es Públicos Federais da Justiça do Trabalho.

– SIFAR: Quadro geral das servidoras/es de Araucária.

– SISMMAR: Magistério Municipal de Araucária.

– APUFPR – SSIND- Servidoras/es da UFPR.

– SINDEDUTEC: Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica Técnica e Tecnológica do Estado do Paraná- IFPR Pitanga

– SINDTEST: Sindicato dos Trabalhadores/as em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior no estado do Paraná (Hospital das Clínicas, técnicos administrativos da UNILA, UFPR, UTFPR)

– SINSEP: Sindicato dos Servidores/as Públicos de São José dos Pinhais

– SINTRAFUCARB: Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Fumo do Estado do Paraná e na  indústria de alimentação de Curitiba. (Mobilização em frente a Mondelez)

– SIEMACO: Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação do Estado do Paraná. (carreatas nas grandes empresas de limpeza)

– Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região: Bancárias/os

As seguintes entidades que compõem o FES- Fórum das Entidades Sindicais, participam da greve geral convocada pelas centrais sindicais contra a reforma da Previdência e em defesa da Data-Base:

Educação Básica 

– APP-Sindicato: escolas e colégios estaduais.

– Instituições Estaduais de Ensino Superior – IEES – Universidades estaduais:

– Assuel (Londrina);

– Sindiprol/Aduel (Londrina);

– Sinteemar e Sesduem (Maringá);

– Sinteoeste e Adunioeste (Cascavel);

– Sintespo (Ponta Grossa);

– Sintesu (Guarapuava) Unespar (7 universidades);

Saúde

– SindiSaúde-PR.

Meio Ambiente e Agricultura

– SindiSeab.

Segurança Pública

– Apra (polícia militar);

– Sindespol (escrivães);

– Sipol (investigadores);

– UPCB Bombeiros (bombeiros militares);

– Sindarspen (agentes penitenciários);

– Sinssp-PR (servidoras(as) técnicos(as) administrativos);

– Sindespol (polícia militar);

– Sinclapol (polícia Civil);

– Adepol (associação de delegados)

– Sinpoapar- Peritos

– Assofepar, AVM e Amai (associações de militares)

Estradas e Rodagem

– Sinder

– Detran: SinDetran

– Servidores do Judiciário: Sindijus-PR (Judiciário)

– SindiMP-PR (Ministério Público)