Dirigente da APP critica na Câmara de Foz do Iguaçu a privatização de escolas da rede pública estadual

Dirigente da APP critica na Câmara de Foz do Iguaçu a privatização de escolas da rede pública estadual

Margleyse Santos pediu apoio dos vereadores(as) para derrubar a proposta nas consultas às comunidades escolares, que devem acontecer em outubro 

A privatização de escolas da rede pública estadual foi tema da participação da secretária executiva Educacional da APP, Margleyse Santos, em sessão da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, nesta sexta-feira (21). 

A dirigente fez um relato sobre o processo de venda das escolas e pediu apoio dos vereadores(as) para informar as comunidades escolares no debate e derrubar a proposta nas consultas que devem acontecer em outubro. 

Margleyse defendeu que o dinheiro público seja aplicado apenas no setor público, e não transferido para empresas privadas. Ela criticou a propaganda do governo Ratinho Jr que diz que com a privatização os(as) diretores(as) de escolas não terão mais que trocar lâmpadas. “Quem fala isso não entende como funciona uma escola. Quem troca lâmpada não é o diretor, mas o funcionário da escola, que já foi terceirizado”, disse.

O risco de exclusão de estudantes com necessidades de aprendizado especiais é um dos motivos para a rejeição da privatização das escolas públicas, apontou a dirigente da APP. “Empresas precisam de lucro, portanto de alunos que tenham um bom rendimento. Os ‘menos eficazes’ serão excluídos(as)”, afirmou.

Todas as escolas públicas devem ter as mesmas condições, defendeu Margleyse Santos aos vereadores(as) de Foz. “Queremos uma escola pública de qualidade, não empresas recebendo recursos públicos, só pensando no lucro e não no aprendizado de cada aluno”, disse.

Isso vai fechar em 5 segundos

MENU