Dias pedagógicos: debate por uma educação humanizadora e com princípios sociais

Dirigentes da APP visitam as escolas e dialogam em defesa da educação pública e da gestão democrática

Começaram os dias pedagógicos nas escolas estaduais. Momentos de estudo e de reflexão aos (às) educadores(as) ocorrem na segunda (03) e nesta terça-feira (04) com a visita dos(as) dirigentes da APP-Sindicato. A proposta é abrir um espaço para a construção de uma educação humanizadora embasada nos princípios sociais, além de garantir uma gestão democrática respeitada.

Educação pública não é mercadoria! É o momento de discussão e de reafirmação, e a secretária Educacional da APP, professora Taís Mendes, reforça a importância na participação da busca por uma gestão democrática e com autonomia pedagógica de todas as pessoas que compõem o universo escolar.

Não à Prova Paraná – Nos dias pedagógicos a temática também aborda o boicote  à Prova Paraná. O presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão, afirma que as escolas não podem ser reduzidas apenas à realização dessa Prova. “O Sindicato defende um processo de ensino e aprendizagem que seja pautado na ética e no respeito, na verdade, como conhecimento e como ciência. Precisamos construir esse movimento também com os estudantes, mães, pais e responsáveis”.

O Sindicato defende uma educação pública de qualidade, laica e para todos(as), ou seja, por uma outra escola acessível. O projeto empresarial que vem sendo imposto e está em curso pela Secretaria de Educação e do Esporte (Seed) não representa o conceito de escola pública. “Rumo ao centenário de Paulo Freire (1921-2021) vamos afirmar a nossa defesa da educação pública, da democracia e da necessária resistência diante dos avanços da visão mercantilista sobre os direitos do povo”, destaca o professor Hermes.

Representantes de escola – Uma das prioridades neste início de ano letivo é a eleição da Comissão Sindical Escolar (veja aqui). “É a APP dentro da escola. São representares de todos os turnos de funcionamento e esse conjunto forma a Comissão Sindical, responsável em organizar a luta no interior da escola, principalmente no momento de muitos ataques aos nossos direitos – e tudo indica que isso irá se aprofundar – é muito importante a união e a organização dos trabalhadores e trabalhadores”, explica a secretária de Organização da APP, professora Tereza Lemos.

Veja também:

::Edição Pedagógica 2020 (aqui)

::Manifesto por uma educação humanizadora (aqui)