Dia Mundial da Saúde é também dia de mobilização em defesa da vacina e do emprego

Dia Mundial da Saúde é também dia de mobilização em defesa da vacina e do emprego

CNTE, CUT e APP-Sindicato saem em defesa da vida e do trabalho de milhares de brasileiros(as). Participe também das mobilizações virtuais

 

Chegamos ao período mais grave da pandemia, marcado por adoecimento e morte em massa. No Brasil, estamos há quase dois meses em uma curva crescente de número de mortos. Já são mais de 4 mil vítimas diariamente. Por isso, neste dia 7 de abril, em que mundialmente é celebrado o Dia Mundial da Saúde, a APP-Sindicato se une ao chamado das centrais sindicais e dos movimentos sociais para denunciar o genocídio do povo brasileiro e a incapacidade de Bolsonaro liderar o país no caminho de superar a pandemia, evitar mortes, salvar vidas e recuperar a economia.

Criado em 7 de abril de 1948 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientizar a sociedade sobre qualidade de vida e sobre fatores que afetam a saúde da população, o Dia Mundial da Saúde será simbólico este ano, especialmente no Brasil.

Agora, pela manhã, APP-Sindicato realiza um ato simbólico e com reduzido número de pessoas para pedir Fora Feder, Fora Bolsonaro e pela garantia da vida. Foto: APP-Sindicato

Com aproximadamente 3% da população mundial, o Brasil concentra 30% de novas infecções registradas diariamente em todo o planeta. Especialistas na área de saúde apontam que abril pode ser o pior mês da pandemia até agora e que, se nada for feito, o Brasil terá um total de 600 mil mortes até julho.

Este dia será marcado por ações internacionais dos movimentos sindicais e populares em defesa da saúde pública e da vacinação para todas as pessoas, com a quebra de patentes e controle do poder da indústria farmacêutica.

Quando fala em ‘quebra de patentes’, o chamado é pelo fim da licença compulsória ou obrigatória de patentes que, na prática, significa uma suspensão temporária do direito de exclusividade do dono do produto, a chamada patente, que permite a produção, uso, venda ou importação do produto ou processo patenteado, por um terceiro, desde que tenha sido colocado no mercado.

Não menos importante é a defesa pelo isolamento social, tão combatido por Bolsonaro. Para a APP-Sindicato, a suspensão das aulas presenciais e a garantia de emprego e do sustento dos(as) trabalhadores(as) é essencial para a defesa da vida da vida.

Participação virtual – Você, educador(a) e estudante, poderá participar deste dia em defesa da vida. A CUT e movimentos sociais que fazem parte da Frente Brasil Popular farão mobilizações nas redes sociais e em várias cidades do país com foco na defesa do SUS e pelo ‘fora, Bolsonaro’. A hashtag principal deste dia será #VacinaSalvaBolsonaroNão. Um tuitaço está programado para as 11h.

Hoje também haverá uma live às 19h, organizada pela CUT com o tema “Salvar vidas, proteger o trabalho, vacina para todos e todas e em defesa da quebra de patentes” será transmitida pelas redes sociais da central – Facebook e Youtube – a partir das 19h

A secretária de  Aposentados(as) da APP-Sindicato, professora Valci Mattos, analisa que a pandemia trouxe um viver diferenciado para a maioria das famílias, principalmente para os lares com idosos e, por isso, é tão importante este dia de mobilização. “O distanciamento da família e de amigos, claro, claro fez com que buscasse na ciência, a sustentação física e psicológica para o momento. A chegada relativamente rápida da vacina nos trouxe grande esperança, o que infelizmente no momento não se aplica devido à política do governo Federal que atrasou o processo”

A secretária comenta que a falta de vacina para os grupos de risco deixa todo país suscetível ao vírus e às incertezas. “Aprendemos conviver com a dor e o medo. Mas tudo isso têm um preço muito alto. A alegria passa a ser um item de saudade”, comenta Valci.

Com informações: CUT e CNTE