Desorganização da Seed deixará centenas de Professores (as) sem aulas

Desorganização da Seed deixará centenas de Professores (as) sem aulas

A APP-Sindicato, que já havia criticado a postura da Seed em manter o retorno presencial das aulas em plena pandemia, denuncia que profissionais agora ficarão sem salários

A gestão atrapalhada do governo Ratinho Jr. e do secretário da Educação, o empresário Renato Feder na educação geraram mais aflição e sofrimento para os(as) trabalhadores(as) da educação. De acordo com a resolução N.º 1.267/2021 – GS/SEED, publicada no último dia 22 (segunda-feira), a Secretaria de Estado da Educação (Seed), indeferiu o afastamento de Professores(as) do grupo de risco da Covid-19, que agora trabalharão de forma remota. A decisão afeta principalmente professores(as) do Processo Seletivo Simplificado (PSS), que perderão suas aulas.

Segundo a resolução, “enquanto as aulas permanecerem 100% remotas na instituição de ensino de seu suprimento, o professor/pedagogo desempenhará suas atividades em regime de teletrabalho”. Ainda em um e-mail, a direção da Seed aponta que “tendo em vista que até o momento não foi possível retomar as aulas presenciais, tal afastamento não se justifica, uma vez que mesmo pertencendo ao grupo de risco, é possível o desenvolvimento das atividades de forma remota”.

A ação foi duramente criticada pela APP-Sindicato, que destaca que a Seed optou por manter professores(as) em casa sem nenhuma atribuição, apostando no retorno das atividades presenciais, ignorando os avisos do Sindicato sobre um eventual problema na distribuição de aulas.

Sem respeito com os(as) educadores(as), mais uma vez a Seed demitirá profissionais do regime PSS, os(as) quais necessitam do emprego e se organizaram comprando equipamentos para atuar nas aulas remotas e deixará professores QPM sem aulas extraordinárias que foram atribuídas para substituição de profissionais do grupo de risco. O presidente da APP-Sindicato condena a resolução e reforça que o Sindicato continuará na luta em defesa dos empregos.

“Novamente a Seed comprova que não liga para a vida das pessoas. A desorganização e falta de planejamento expõe professores e funcionários a uma situação absurda num período de grave crise econômica. Vamos sempre defender o direito destes profissionais ao emprego, ao salário justo e a condições dignas de trabalho, o que não vem sendo respeitado por este governo. Lamentável”

Em relação aos(às) agentes educacionais II, a Seed também determinou que aqueles(as) que são do grupo de risco passem a desempenhar as funções em home-office.

A direção estadual da APP-Sindicato enfatiza ainda que já entrou em contato com a Seed e também tomará as medidas cabíveis para revogar mais essa resolução absurda de Feder. 

Leia abaixo a resolução N.º 1.267/2021 – GS/SEED na íntegra:

RES 1267-2021-GS-SEED Altera_RES_541_2021 Republicação (1)