Delfina Acosta | Paraguai | APP-Sindicato

Delfina Acosta | Paraguai


Estatua en la Plaza Verde   

Te esperaría. Yo sería, amado,
la primera en llegar hasta la vía,
y la última en volver, con un paraguas,
de la estación del tren que te traería.
Iré hasta el mar como la lluvia, a veces,
y pasaré del mar a la otra cita,
en el muelle del puerto, frente al río.
Seré la gris silueta que tirita.
Inmensamente sola como novia
saldré a buscarte y volveré tardía.
Del balcón a la plaza partiré.
Seré una estatua de melancolía.
Y a la hora puntual de nuestras muertes,
si llegara primera a nuestra cita,
te estaré ya aguardando para darte
mi amor en una blanca margarita. (pág.25) 

TRADUÇÃO LIVRE:

Estátua na Praça Verde

Te esperarias. Eu seria, amado,
a primeira a chegar aos trilhos
e a última a voltar, com um guarda-chuva,
da estação de trem que te trarias.
Irei para o mar como a chuva, às vezes,
E passarei do mar para a outra data,
no cais do porto, de frente para o rio.
Serei a cinzenta silhueta  que estremece.
Imensamente sozinha como noiva
sairei  a buscar-te e voltarei tarde.
Da varanda para a praça partirei.
Serei uma estátua de melancolia.
E na hora exata de nossas mortes,
se eu chegasse primeiro ao nosso encontro,
já estarei te esperando  para dar-te
meu amor em uma margarida branca.

REFERÊNCIA:  ACOSTA, Delfina. Querido mío.
Asunción, Paraguay: Servilibro, 2004

 

Ao falar do Paraguai, por aqui, automaticamente as pessoas já lembram de compras em Ciudad del Este – mas o país é muito mais do que esta cidade fronteiriça ao Brasil. 

Situado no centro-sul da América do Sul, sem saída para o mar, faz fronteiras com o Brasil, a Bolívia e a Argentina. Possui uma população de aproximadamente 8 milhões de habitantes, num território um pouco maior que o Mato Grosso do Sul.

Quando os espanhóis chegaram naquelas paragens, já havia povos guaranis. Entre 1536 e 1556, fixaram-se os primeiros núcleos coloniais e foram traçadas as fronteiras com a América portuguesa. Uma das principais características desse período colonial foi a grande miscigenação. A cidade de  Assunção foi fundada em 1537  e logo se tornou centro da província, influenciando na criação de outras cidades como Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), Córdoba, Corrientes e Buenos Aires. (Argentina),  

Com a chegada dos padres jesuítas, em 1640 surgiram diversas “missões” que abrigavam os indígenas, protegendo-os do trabalho escravo. Tal postura, desagradou a coroa espanhola e os jesuítas foram expulsos da região em 1767.  Ainda neste período, o Paraguai perdeu suas saídas marítimas (hoje, região de SC) e fluviais (Rio da Prata, em Buenos Aires), ficando isolado no interior do continente. 

Já sua independência do reino espanhol foi bastante pacífica, mas o novo país ficou isolado do restante do mundo devido à proibição de imigração na região.  Em 1864, teve início a Guerra do Paraguai no governo de Solano Lopez. Essa guerra foi causada por disputas fronteiriças entre o país e Brasil e Argentina. Foram seis anos de batalhas sangrentas que praticamente dizimaram a população adulta masculina do Paraguai. A guerra só teve fim com a morte de Solano na Batalha de Cerro Corá. 

O Paraguai perdeu quase um terço do seu território para o Brasil e a Argentina, teve suas riquezas saqueadas e quase 50% da população morta, além de uma enorme instabilidade econômica e política. Tais problemas levaram a duas guerras civis no país – 1922 e 1947, além da Guerra do Chaco com a Bolívia em 1932. 

Mais tarde, o país viveu sob o regime ditatorial de Augusto Stroessner (1954 a 1989), havendo perseguições, prisões e assassinatos políticos, além de muita corrupção e cerceamento das liberdades políticas. Nesse período houve uma aproximação maior com o Brasil com a construção da Ponte Internacional da Amizade e a Hidrelétrica de Itaipu.  

Na década de 1990, houve mais reveses políticos e deposições de presidentes, tentativas de golpes e, somente em 2008, com a eleição de Fernando Lugo, teve o fim do domínio por parte do partido Colorado. Começava uma nova era no país, com programas de reforma agrária, infraestrutura do campo e melhorias sociais diversas.

Em 2012, Lugo sofre impeachment por  “mau desempenho das funções” e em 2013, Horácio Cartes (um dos homens mais ricos do país, acusado de ligações com o narcotráfico e lavagem de dinheiro) é eleito presidente.  Há muitas críticas e protestos durante seu governo. Outro colorado tomou posse em 2018, Mario Abdo Benítez, o Marito, arduamente criticado pela má gestão de conduta durante a pandemia, mas escapou do impeachment. Atualmente, preside o Paraguai, o colorado Santiago Peña, eleito no último dia 30 de abril com mais de 44% dos votos válidos.  

O Paraguai é extremamente rico culturalmente, um verdadeiro mosaico que se formou ao redor dos Rios Paraná e Paraguai. Na literatura, o país não tem tantos nomes reconhecidos internacionalmente, destacam-se Augusto Roa Bastos, Rubén Bareiro Saguier, Elvio Romero, Gabriel Casaccia e Josefina Pla. Porém, merece destaque a escritora  Delfina Acosta, que estampa nossa agenda neste mês de agosto de 2023, e escreveu especialmente para a APP sobre a educação. Confira:

EN TORNO A LA EDUCACIÓN

La educación en las personas, sobre todo, en los niños, es muy valiosa. Forma la capacidad intelectual, moral y afectiva. Cuanto mayor y más amplio sea el nivel educativo, mayores oportunidades tendrán los niños de abrir sus mentes a las diversas manifestaciones artísticas, culturales, históricas, musicales y literarias. 

Debe estimarse siempre en su real dimensión el poder transformador de la educación.  Un niño aprende lo que se le enseña. Un niño motivado es un niño comunicativo y feliz. Todo cuanto sirva para acrecentar el conocimiento, es una joya de valor inestimable. Es oro puro, es puerta abierta al futuro. 

Mediante la buena enseñanza y la lectura de los libros apropiados, los estudiantes se ilustran y se convierten en individuos útiles a la familia, a su entorno y a la sociedad. Quien poco se educa, poco aporta al país, y poco se defiende de las crecientes exigencias del mundo actual.

Los padres de familia deben estar siempre atentos, esmerándose por inculcar valores morales a sus niños. 

SOBRE  A EDUCAÇÃO 

A educação para as pessoas, sobretudo, para as crianças é muito importante. Ela forma a capacidade intelectual, moral e afetiva. Quanto maior e mais amplo for o nível educacional, maiores serão as oportunidades para as crianças abrirem suas mentes para as diversas manifestações artísticas, culturais, históricas, musicais e literárias. 

Deve-se sempre estimar, em sua real dimensão, o poder transformador da educação. Uma criança aprende o que lhe ensinam. Uma criança motivada é comunicativa e feliz. Tudo o que sirva para se acrescentar conhecimento é uma jóia de valor inestimável.  É ouro puro, é uma porta aberta para o futuro. 

Diante de um bom ensino e da leitura de livros necessários, os estudantes se preparam para ser indivíduos necessários às suas famílias, suas comunidades e à sociedade, como um todo. Quem não estuda, pouco contribui para o país e pouco consegue sobreviver às crescentes exigências do mundo atual. 

A família deve estar sempre atenta, esmerando-se em incutir valores às crianças. 

(TRADUÇÃO LIVRE) 

Delfina Acosta (20/07/2023, especial para a APP-Sindicato) 


Sobre a escritora: 

Delfina Acosta nasceu em Assunção (Paraguai) no dia 24 de dezembro de 1956. Passou sua infância e juventude na cidade de Villeta (metropolitana de Assunção), onde fez seus estudos primários e secundários. Doando suas obras literárias às bibliotecas públicas desta cidade. 

Escritora, jornalista e poetisa com formação em química farmacêutica. É filiada ao Partido Encuentro Nacional (PEN) Paraguay, membro da Sociedade de Escritores do Paraguay e das Escritoras Paraguaias Associadas.

Sua obra faz parte dos autores publicados no livro Cuentos Latinoamericanos, editado pela CCBucher, Alemanha( 2009). Os textos estão dentro da série Prismas del mundo hispánico, dedicado à aprendizagem do espanhol através da análise de contos de diferentes autores latinoamericanos.

Foi também colunista e redatora de crítica literária do Suplemento Cultural do Jornal ABC Color.

Suas obras já foram traduzidas para o português, italiano, francês e alemão.

A Câmara Municipal de Villeta (Resolução 69/2021) declarou-a “Filha amada de Villeta” por seus méritos pessoais diante da cultura local. 

É diretora executiva da revista digital Poesía y Métrica,  voltada à difusão da poesia de autores de língua hispânica. 

Em 2001, recebeu a menção de honra do Gran Premio Oscar Trindad por seu destacado  jornalismo  literário. 

Em 2005 e 2006, criou e dirigiu a Oficina de Poesia promovida pela Universidade Iberoamericana. Também foi criadora e coordenadora da Oficina de Poesia Manzana de la Rivera.

Os escritores e críticos literários  paraguaios Hugo Rodríguez Alcalá, Josefina Plá, Maribel Barreto, Roque Vallejos, Alfredo Pérez Alencart, José Vicente Peiró Barco y Osvaldo González Real são unânimes ao elogiar sua produção literária.  

Mulher de uma simplicidade tão encantadora quanto seus versos. Recebeu e continua recebendo muitos prêmios, menções e honrarias no Paraguai e no exterior.

Siga a autora em suas redes sociais: https://www.facebook.com/delfina.acosta.1694 


Sobre as suas obras: 

Todas las voces, mujer (1986), rendeu a premiação Amigos da Arte e é uma das obras mais consultadas da Biblioteca Virtual Cervantes. Querido Mio (2004) recebeu a premiação Roque Gaona, Versos Essenciales (2001) foi uma homenagem a Pablo Neruda. Seus contos e poemas são destaques, pois perturbam, surpreendem e abalam quem lê, já que ocorrem situações inesperadas, incomuns. Delfina usa situações e imagens surreais para revelar a condição humana de forma desconcertante. Seus poemas e contos figuram em inúmeras antologias paraguaias e estrangeiras.


Suas obras: 

Poesía itinerante, publicação coletiva (1984)

Todas las voces, mujer (1986)

Pilares de Asunción (1987)

El viaje (1990)

Cruz del colibrí (1992)

Versos esenciales, como homenagem ao poeta chileno Pablo Neruda (2001)

Romancero de mi pueblo (2003)

Querido mío. Último libro (2004)

Guía del cementerio (2009)

El club de los melancólicos (2010)

La fiesta en la mar (2011, conto da Antología Panamericana, editada pela Record)

El ayer que vuelve (2012)

Versos para este planeta (2012)

Versos de amor y de locura  (2012)

La luciérnaga alegre (2016)

Cuentos rojos y negros (2018)

Carlitos y el hada Mente Sana (2018, literatura infantil)

Poemas desnudos (2020)

Un autor, un relato (2020)

El jardín azul (2021)

La canción que nunca cesa (2022)

Toca timbre (2023) 


Prêmios

  • Segundo prêmio ”Poesía Joven” (1983)
  • Prêmio ”Amigos del arte”, pela publicação Todas las voces, mujer (1986).
  • Prêmio ”Mburucuyá de Plata” en los ”Juegos Florales” (concurso organizado por la municipalidad de Asunción en ocasión del aniversario número 450 de su fundación) (1987)
  • Prêmio “Primera mención” no Concurso da Municipalidade de Assunção (1991)
  •  Prêmio do PEN Club del Paraguay por el poemario Versos esenciales, homenagem ao poeta chileno Pablo Neruda (2001).
  • Segundo prêmio ”Federico García Lorca” por Romancero de mi pueblo (2003)’.
  • Prêmio ”Roque Gaona”, por Querido mío (2004).
  • Prêmio “Edward Y Lily Tucker” do PEN Club dos Estados Unidos por Versos de amor y de locura (2012)

DICAS PARA TRABALHO EM SALA DE AULA: 

As riquezas deste Território vizinho podem ser trabalhadas em várias disciplinas da Base Comum. Listamos abaixo algumas sugestões que podem enriquecer o trabalho em sala de aula. 

>> História

Guerra do Paraguai: foi o maior conflito armado da América do Sul ocorrido até hoje. De 1864 a 1870, o Paraguai guerreou com a chamada tríplice aliança – Brasil, Argentina e Uruguai. O resultado dessa guerra foi a quase completa destruição do Paraguai. Esse é um dos episódios mais tristes  e cruéis da nossa história.

Saiba mais: Guerra do Paraguai – UPSHistória do Mundo – Guerra do ParaguaiSenado institucional – Guerra do ParaguaiSobre a Guerra do Paraguai

As missões, ou reduções, eram aldeamentos indígenas criados pelos padres jesuítas com o intuito evangelizador e civilizatório. Elas foram instaladas no Paraguai, Brasil e Argentina  e sobreviveram por mais de um século na América.

Saiba mais: Missões jesuítasMissões jesuítas do Paraguai

>> Geografia

Lago de Ypacaraí: além de ser um dos maiores do país, é cercado de charme, mistérios e bossa. Possui 17 km de extensão, 7 de largura e, em média, 4m de profundidade.  A cidade de San Bernardino, de colonização alemã, fez do lago um balneário e há muito agito no verão.  Além disso, há inúmeras histórias que envolvem literatura, música, nazismo.

Saiba mais: Lago de Ypacara | Gov Lago de Ypacara Ponto turístico Lago de Ypacara

Gran Chaco: é uma vasta área de planície com selva e floresta que se estende pelo Brasil, Bolívia, Argentina e Paraguai; aqui as temperaturas podem chegar facilmente aos 48º graus no verão.  

Saiba mais: Lar da grande onça pintadaGran Chaco

>> Biologia / Ciências

Apesar de ser um território pequeno, o país abriga em torno de 10 mil espécies vegetais e 1500 espécies de animais vertebrados.

Saiba mais: Fauna e flora del Paraguay

>> Química / Física

Usina de Itaipu, um verdadeiro show de águas – É uma enorme barragem hidroelétrica no rio Paraná, entre o Brasil e o Paraguai. É conhecida pelos espetáculos de luzes noturnas e as vistas do miradouro central. 

São 20 unidades geradoras e 14 gigawatts (GW) de potência instalada, Itaipu fornece cerca de 8,6% da energia consumida no Brasil e 86,3% do consumo paraguaio. É a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta.

Saiba mais: Itaipu Binacional

>> Educação Física

O futebol é, sem dúvida, o esporte mais popular do Paraguai. Há times renomados como o Olympia e o Cerro Porteño. Depois do futebol há os ralis. Sendo o mais tradicional e disputado o Transchaco Rally, que acontece desde 1971.

Saiba mais: RallyCampeões do Futebol – Paraguai

>> Artes

Ñanduti é teia de aranha em guarani, sendo um dos mais belos trabalhos manuais paraguaios. Bordado que lembra uma mandala, trabalha com cores fortes e prima pela beleza e delicadeza. A lenda que dá conta do seu surgimento é tão bonita quanto o bordado.

Saiba mais: Ñanduti, as cores do ParaguaiÑanduti

A Harpa Paraguaia é única em sua sonoridade. Os jesuítas trouxeram as harpas para o país  no século XVII e a mesma foi adaptada à cultura guarani, tornando-se, mundialmente,  peculiar por sua estética.

Saiba mais: Harpa ParaguaiaRitmos e danças – Harpa Paraguaia

>> Português / Espanhol

A língua guarani é o idioma oficial do Paraguai juntamente com o espanhol. Por isso, a cultura guarani está mesclada com a cultura dos colonizadores em todas as áreas.

Saiba mais: Primeira gramática paraguaiaGuarani

Você sabia que foi no Lago de Ypacaraí, que Saint-Exupéry teve a inspiração  para escrever um dos maiores clássicos da literatura mundial? O Pequeno Príncipe nasceu em terras paraguaias.

Saiba mais: O Pequeno Príncipe

A literatura paraguaia tem um diferencial das demais literaturas hispânicas sul-americanas. Ela tem a cultura guarani não só em sua essência, mas também na sua escrita.

Saiba mais: Literatura paraguaiaA literatura paraguaia e Roa Bastos, para começarLiteratura, cultura e linguagem paraguaia


DICAS DE FILMES:

Filmes para conhecer o cinema paraguaio (clique aqui).


DICAS DE MÚSICAS:

Muitas gerações foram embaladas por uma cantora paraguaia que iniciou e consolidou sua carreira aqui no Brasil: Perla. Ela colecionou inúmeros sucessos na década de 1970 que são ouvidos até hoje. 

>> https://www.youtube.com/watch?v=pJYLq4x_ilM 

>> https://youtu.be/GU2P9tFWVzk 


IMAGENS DO PARAGUAI / FOTOS DELFINA ACOSTA

MENU