CoronaFeder: veja como esse vírus se tornou letal para a educação do Paraná

CoronaFeder: veja como esse vírus se tornou letal para a educação do Paraná

APP-Sindicato lança campanha contra a mercantilização da educação pública no Paraná

Nesta quarentena, a APP-Sindicato não parou o seu trabalho e lança uma Campanha contra os ataques do governo Ratinho Jr. e do secretário de Educação Renato Feder às escolas públicas do Paraná. A campanha “CoronaFeder, um vírus letal para a educação” é uma denuncia contra a mercantilização do ensino público e precisa do seu apoio e engajamento. Veja abaixo como é possível lutar contra mais esse mal que assola o Paraná.

O CoronaFeder é um “vírus” que chegou ao Paraná a partir de uma ratazana. Tem infectado o sistema público de educação do Paraná e parece querer levá-lo ao colapso para que outra forma de educação privada possa gerenciá-lo. Seria conveniente para os grandes empresários(as) da área da educação? Confira as doenças já provocadas pelo CoronaFeder:

RCO

É uma doença que obriga os(as) usuários(as) a utilizarem seu próprio equipamento para alimentar o sistema do CoronaFeder.

Escola Segura

Coloca agentes de segurança para vigiar as escolas e garantir a propagação do vírus.

Tutoria

O vírus infecta diversos agentes e os coloca para monitorar a progressão do vírus em todas as escolas.

Crep

O CoronaFeder criou uma forma de obrigar professores(as) a aderirem ao seu planejamento de expansão. Por meio do CREP, todos os seus conteúdos são disseminados de forma uniforme, acabando com a autonomia do professor e da escola.

EJA

É mais uma forma de ataque do CoronaFeder, encerrando atividades da Educação de Jovens e Adultos (EJA), estabelecendo encerramento de turmas e fechamento de escolas.

EaD

A última doença causada pelo CoronaFeder é a EaD para educação básica. Uma das maneiras mais letais do vírus agora quer chegar às casas dos estudantes, privando-os de qualquer contato com o professor e promovendo um verdadeiro faz-de-conta da educação. Repassa recursos públicos a iniciativa privada e obriga professores a acompanhar virtualmente turmas com excesso de alunos e sem horário definido de trabalho.

O principal meio de prevenção é a resistência. Estudos estão sendo feitos para expurgar o vírus do sistema de ensino, porém isso vai exigir de todos(as) um esforço para que as doenças provocadas pelo vírus não causem ainda mais estragos.

Participe desta campanha contra a disseminação do CoronaFeder na educação: