Conselho Estadual de Saúde se posiciona contra retorno das aulas presenciais

Mesmo com aumento de casos, Ratinho Jr e sua equipe publicaram uma resolução que convoca os(as) profissionais de educação para cumprir atividades presenciais

Em meio a uma nova alta no número de casos de contaminação e vítimas do COVID-19, a Secretaria de Estado de Educação (Seed) demonstra seu desprezo pela vida de milhares de trabalhadores(as) da educação. Seguindo posição contrária de órgãos e instituições ligadas a saúde e educação, a Seed por meio da Resolução n. 4.057/2020, publicada esta semana, convoca Professores(as) e Funcionários(as) de Escola para realizar expediente nas escolas. 

Além da APP-Sindicato, que já se posicionou contrário a retomada das atividades presenciais, na manhã desta quinta-feira (22), o Conselho Estadual de Saúde aprovou por unanimidade a contrariedade ao retorno. De acordo com Olga Estefania, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores(as) da Saúde Pública do Estado do Paraná (SindiSaúde) e representante dos(as) profissionais do segmento no CES-PR, o número significativo de casos de Coronavírus é um risco para os(as) a categoria e a comunidade escolar.

“Ocorre que a pandemia permanece com números significativos de casos confirmados e de mortes em todo o Paraná. O retorno às aulas possui elementos que agravariam este quadro como o fato de envolver além de professoras(es) e alunas(os), trabalhadoras(es) das escolas, responsáveis pelas crianças além das comunidades em que moram e trabalham responsáveis das(os) alunas(os)”, explica Olga Estefania. 

Paraná registra aumento de casos

A alta nos números de contaminados e vítimas do Coronavírus foi confirmada pela própria Secretaria de Estado da Saúde. Em entrevista ao portal Banda B, o secretário da Pasta, Beto Preto confirmou o aumento de casos nos últimos três dias, onde enfatizou ainda a importância do isolamento social para conter o contágio do vírus. No boletim publicado nesta quarta-feira (21), foram confirmados mais 1.168 casos e 35 mortes em decorrência da infecção por COVID-19. As novas vítimas são 17 mulheres e 18 homens, com idades que variam de 40 a 113 anos. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 200.952 casos e 4.986 mortos em decorrência da doença.

O presidente da APP-Sindicato, Professor Hermes Leão, enfatiza que o governo, ciente dos dados, está se isentando do risco de contaminação para colocar nos(as) trabalhadores(as) a culpa dos números alarmantes de evasão escolar durante a pandemia. 

“O governador e o secretário da Educação estão lavando as mãos e jogando toda a responsabilidade, se ocorrer contaminação por conta dessa movimentação, nas costas dos diretores de escola e nas famílias. Por isso, mantemos a deliberação aprovada em assembleia, de greve em defesa da vida, e nossa orientação para a comunidade é dizer não ao retorno das atividades presenciais neste ano”, aponta Hermes Leão.

O presidente da APP-Sindicato entende que a melhor opção no momento é concluir o ano letivo de 2020 com essas aulas não presenciais, mesmo que o Sindicato seja contra o modelo e destaca a necessidade do governo reconhecer os erros e dialogar com os(as) educadores(as), pais, mães e estudantes para debater a forma adequada de retomada das aulas nas escolas em 2021.


Leia mais:

:: APP-Sindicato denuncia abusos contra a vida em nova resolução da Secretaria da Educação
:: APP-Sindicato orienta categoria e comunidade contra retorno de atividades presenciais
:: Após pressão por reunião, APP-Sindicato cobra diálogo com a Seed