Coletivo Estadual de Aposentados(as) da APP inicia planejamento em Curitiba APP-Sindicato

Coletivo Estadual de Aposentados(as) da APP inicia planejamento em Curitiba

Nesta quarta (13) e quinta-feira (14) acontecem avaliações e planos de ações para este ano em defesa dos(as) educadores(as) públicos(as) e seus direitos

Bruna Durigan / APP-Sindicato

Secretários(as) de aposentados(as) dos Núcleos Sindicais da APP reúnem-se, a partir desta quarta-feira (13), na sede do sindicato em Curitiba para planejar as atividades do ano, debater os desafios do período e discutir pautas da campanha salarial de 2024. 

São dois dias de programação que incluem informes, discussão da conjuntura estadual, atividades culturais, construção do plano de ação e encaminhamentos para o planejamento.

>> Receba notícias da APP no seu Whatsapp ou Telegram

Pela manhã, a atividade começou com a acolhida dos(as) participantes pela secretária de Aposentados(as) da APP, Maria Adelaide Mazza Correia. 

“Como em todos os anos, após o planejamento da direção estadual, promovemos este encontro para organizar o que faremos durante o ano. Sugestões e propostas são analisadas, sem deixar de considerar o que foi executado no último ano após o planejamento anterior. É uma definição dos rumos para valorizar quem já fez tanto pela educação pública paranaense”, destaca Adelaide.

Sueli de Souza Pinto, na leitura da sua poesia “Essa Mulher”. Foto: Bruna Durigan / APP-Sindicato

O início dos trabalhos também contou um momento literário, com a declamação de poesias. A professora aposentada e secretária da pasta em União da Vitória, Sueli de Souza Pinto, tem dois livros publicados e agraciou os(as) presentes com a leitura da obra chamada ”Essa Mulher”, alusiva ao mês de março. 

Já o secretário-geral da APP, Celso Santos, parafraseou Carlos Drummond de Andrade, declamando “Pacto com a felicidade”.

Celso Santos declamando “Pacto com a felicidade”. Foto: Bruna Durigan / APP-Sindicato

Previdência e direitos

Em seguida, os(as) aposentados(as) dialogaram com a presidenta da APP, Walkiria Mazeto. Ela apresentou o cenário atual, as negociações em andamento com o governo estadual, as complicações e desafios do ano eleitoral e a necessidade de amplo engajamento na campanha salarial.

Walkiria Mazeto apresentou cenário atual. Foto: Bruna Durigan / APP-Sindicato

Um dos problemas cruciais dos(as) servidores(as) é a defasagem salarial acumulada de 34% da data-base, apontou Walkiria. A presidenta da APP defende que o governo Ratinho Jr. apresente uma proposta para zerar as perdas salariais até o fim do mandato. 

Outro ponto é a criação de uma política de recomposição para professores(as) aposentados(as) sem paridade, que no último ano ficaram de fora do reajuste do Piso. “O menor salário é dos nossos trabalhadores. Não é justo não ter reajuste para quem ajudou e já fez tanto e ainda faz pela construção da educação pública”, pontuou Walkiria.

A pauta de lutas também inclui a isenção do desconto previdenciário para quem ganha até o teto do INSS. Hoje, todos(as) que recebem acima de três salários mínimos arcam com a conta. 

Planejamento do Coletivo de Aposentados(as) – 13 e 14/13/2024 – Curitiba

Poesia e leitura de Sueli de Souza Pinto

Essa Mulher

sabe o que é, e diz,
fala, canta, vocifera,
mistura línguas e cores,
temperos e cheiros, luz e breu
sabem bem a ela,
porque de si sai ou fica,
quando ama: brilha,
muda nunca seu calor
solar se põe à mostra,
só se dá quando desmitifica
o ser santa, do lar, se embriaga
com o espelho que quer não
com que lhe deram, pechas
não lhe cabem, chamas a lambem
vitrifica ou escorre na areia
entre ser mar ou céu,
o que santifica é não ser só
é ser a que dedica cada dia
de seu a quem põe lenha e fogo
em sua vida, parida lambe
a cria, revolve cabelos, aneis
e dedos dá ao bem que fica,
chora a dor que demoniza
seu ser de luz ou sombra
em cada curva se transmuta
para flor e espinho dá valor,
sobrevivente evola na engrenagem
que lhe moi artelho e músculos
definidos a cada sol, lavada
e curtida, põe sal e saliva
sutura em cada sua ferida pois
sabe a si a mãe da vida,
inda que lhe digam onde ir
vai onde quer e não se explica
seu brilho de ser essa estrela
que aponta caminhos ainda que
desorientada converte em bússola
a desdita, põe na cabeça trouxa,
trança, ideia esquisita dizer
que ela não passa de mulher essa
frágil forte mistura tira da bateia
sem alarde ou grita o ouro mais que puro
de ser extrema em cada inauguração,
natureza que se reinventa seu brilho próprio
que orienta, perde a muitos no seu riso
nem sempre de alegria feito
guizo que retine a cada bater
cabelo sumário ou alongado
no olhar cigano não dissimulado
sim a quem a pensa a presa
quando já vai longe com caniço
pescar o que bem quer ao se rir
dos que a fitam embasbacados
cair e levantar-se em átimo e ritmo
que só o ser mulher entende o salto.
rasteirinha altiva, rainha sem cortejo
que merece toda hora a flor que a beija
e a consente no dia que dizem ser seu
sem saber ignaros que ela já se fez
dona e senhora de todo o calendário.

MENU