Centrais sindicais defendem revogação da Reforma Trabalhista

Centrais sindicais defendem revogação da Reforma Trabalhista

Nota oficial ressalta que reforma precarizou relações do trabalho e não gerou empregos

O presidente da CUT, Sérgio Nobre, e mais cinco presidentes de centrais sindicais, divulgaram na quinta-feira (6) nota em que defendem o debate para que a reforma trabalhista seja revogada, assim como fez o novo governo da Espanha.

“Recordemos que a reforma trabalhista espanhola é fonte de inspiração para realizar no nosso País o desmonte dos direitos, a precarização dos vínculos laborais e o ataque os sindicatos e às negociações”, registra a nota.

As centrais apontam que, passados quatro anos, a reforma trabalhista revelou-se um desastre para a classe trabalhadora e para a nação, com aumento do desemprego, da precarização, da insegurança laboral, do arrocho salarial, da pobreza e da desigualdade social.

“No debate eleitoral de 2022 a geração de emprego de qualidade, a valorização dos salários, a proteção laboral, social, previdenciária e sindical deverá ser central”, diz o documento.

Leia a nota na íntegra.

20220105 Nota 01 das centrais - Reforma na Espanha
MENU